FRANÇA . SAINT SATURNIN-LES-APT . Brocante Que Ocupa Boa Parte Da Cidade E A Preços Muito Convidativos.


IMAGEM DESTACADA: Igreja da Imaculada no Centro de St. Saturnin, localizado a 9 km ao Norte de Apt pela rota N 100; em seguida, a 943.

ENQUANTO AGUARDÁVAMOS LEONOR
Comecemos com algumas imagens de Aix, mais precisamente do Cours Mirabeau – a principal avenida da cidade onde Leonor passava de carro diariamente para nos pegar.
Chegávamos muito cedo ao Café La Belle Époque ainda com a cama nas costas de tão sonolentos e encontrar a avenida ainda mais adormecida que nós não era novidade.
Vez ou outra víamos um automóvel passar em baixa velocidade e pessoas sem a menor pressa caminhando nas largas calçadas. Tudo e todos parecendo dormir um sono só.

Aconteceu que neste dia duas figuras serviram para nos despertar: a primeira impressionou-me bastante pelo conjunto da obra: alta e magra como um espaguete; para combinar, rosto fino e magro perdido em uma juba enorme que me fez lembrar as feiticeiras que vemos em filmes e desenhos animados. Nariz longo e pontiagudo – ondulado como um tobogã -, coroado por uma armação de óculos que só piorava sua aparência bizarra.
Uma figura saída de um livro de contos infantis – ou de um filme de Almodóvar? -, estava ali em minha frente ao vivo e em cores. Pensei: e a vassoura, onde estaria?
Hipnotizada por aquela visão, entre um gole e outro do café me fiz algumas perguntas em silêncio e acabei entendendo o porquê de minha mãe adorar ficar sentada em um banco da Avenida Atlântica aqui no Rio e observar o vai-e-vem das pessoas no calçadão: – Distrai, minha filha… Distrai muito… Vejo cada coisa…
Agora tenho certeza, mãe: como distrai!!!
É bem verdade que um comentário desses seria bastante inconveniente e antiético caso tivesse eu mostrado o rosto da rara criatura. Evidentemente que, em nome dos bons costumes, deixei apenas o comentário. (E como dizia o poeta Vinícius de Morais: ” As feias que me perdoem, mas beleza é fundamental“).

A segunda aparição ficou por conta do “pormaior” (não do pormenor) do vestido de uma bonita loura prá lá de descolada que transbordava de um decote exagerado e prático que podia atender de imediato a algumas necessidades. Foi a primeira vez que vi uma roupa (?) em um decote e não o contrário. Quem pode, pode, vamos combinar, e a louríssima podia se dar ao desfrute de mostrar a retaguarda quase que por completa.
Sou totalmente a favor da peruagem desde que se obedeça a determinados critérios.
Todo cuidado é pouco a fim de não atravessar a tênue linha existente entre a elegância. mesmo sendo extravagante, e a vulgaridade.
De uma coisa tenho certeza: esse poderosérrimo e generosíssimo decote deve ter despertado muita gente sonolenta àquela hora da manhã. Viva Aix!

P1050443 (800x600)

P1050432 (1024x765)
Cours Mirabeau. No final deste lado da avenida está La Rotonde.

P1050434P1050436 (1024x768)
Deixamos Aix para trás e rumamos para Saint Saturnin – Les – Apt, distante 77 km e pouco – aldeia situada no Parque Natural Regional do Luberon.

Além da longa feira de antiguidades e objetos usados (as brocantes) que você logo vê ao chegar, e que atrai um movimento expressivo de turistas, a aldeia conta com dois moinhos de vento do século XVII e com ruínas de um castelo medieval.
Saint Saturnin é um lugar cercado de História que merece atenção. Ao caminhar pelo centro da pequena vila o visitante encontrará belas mansões antigas e pórticos esculpidos, além de portas e molduras de janelas delicadamente trabalhadas.
No bairro você descobrirá que das três muralhas construídas como fortificação nos séculos XIII, XIV e XVI, só existe o Portal Ayguier.

P1050449
A caminho de St Saturnin.
P1050451
St Saturnin despontando entre as oliveiras.
P1050455 (1024x768)
Ao fundo, à direita da torre da igreja, ruínas de um antigo castelo.
Saint Saturnin - Feira de Antiguidades.
Saint Saturnin – Feira de Antiguidades.

P1050458 (1024x768)P1090195 (1024x768)Detalhe – varanda.
P1050463 (1024x768)Luz e sombra.

P1090200 (733x533)

P1050471 (1024x768)

P1050472 (1024x768)A feira da ladra (brocante) estende-se por toda a cidade. Neste trecho, toma conta da praça em frente à igreja.

P1050460 (1024x768)

P1050473 (1024x950)

P1050475 (1024x768)O contraste do rico trabalho do frontão com a simplicidade da janela.

P1050476 (768x1024)
A grandeza da simplicidade.

P1050477 (1024x863)

EIRA, BEIRA e TRIBEIRA – DO QUE SE TRATA?
Na foto acima está o exemplo de uma pessoa considerada rica, simplesmente pelo detalhe das três beiras do telhado – a tribeira que vemos abaixo da calha.
Havia quem tivesse apenas uma fileira de acabamento, a eira, e quem tivesse duas: a eira e a beira.

Chamou-me atenção a beirada do telhado de alguns prédios em St. Saturnin.
Sabemos que aqui no Brasil algumas residências ainda exibem características da arquitetura portuguesa e as duas fileiras de telhas abaixo da tribeira é uma delas.
Esse adorno foi adotado pelos portugueses que colonizaram o Brasil.
Embora em desuso, a  expressão “Fulano não tem eira nem beira” foi bastante utilizada no passado para definir o poder aquisitivo de alguém. O que significa?

FRANCISCO DE PAULA MELO AGUIAR no texto EIRA, BEIRA e TRIBEIRA define esse aspecto da arquitetura como fator discriminatório. Diz o autor: “A discriminação religiosa, política e social no Brasil Colonial estava presente em todos os lugares, por exemplo, na igreja, nas casas urbanas e rurais, pois, “[…]” os ricos construíam suas casas com três acabamentos no telhado. De baixo para cima, as partes eram chamadas eira, beira e tribeira. As casas dos pobres eram feitas apenas com tribeira”. Clique aqui para ler o texto interessantíssimo.

Quem não tinha fileira nenhuma, apenas o telhado (a cobertura), era o pobretão, o “sem eira nem beira“. Agora, rico mesmo, era aquele que construía um prédio de dois pavimentos no qual o andar térreo era destinado ao comércio. Esses, além da tribeira, também eram prováveis “donos” de escravos, condição que impunha respeito.
Esse detalhe em alguns prédios chamou-me atenção na aldeia, por ser uma característica da arquitetura portuguesa.

Coroamos nosso passeio maravilhoso com um crepe leve e saboroso em um restaurante super simpático descolado por Leonor. Merecemos.

P1050478 (1024x768)
Restaurante La Restanque. Crepe de trigo sarraceno e champignon. Delicia.

La Restanque: 37 Avenue Jean Geoffroy, 84490 Saint-Saturnin-lès-Apt, França. +33 4 90 75 51 87

P1050479 (1024x768)
Café gourmet.

img186

CONTATO:

2 comentários em “FRANÇA . SAINT SATURNIN-LES-APT . Brocante Que Ocupa Boa Parte Da Cidade E A Preços Muito Convidativos.”

Deixe seu palpite!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s