FRANÇA. PROVENCE . Sault e Coustellet – Museu e Campos de Lavanda . Canela . Rio Grande do Sul.


Imagem Destacada: A caminho de Sault.

14/7/2014 – Saímos de Aix-en-Provence e chegamos a Sault passando por Saint Saturnin-Lès-Apt. De Sault seguimos para Saignon e retornamos a Aix.

AVISO AOS NAVEGANTES
Interessante salientar que neste mesmo dia outra blogueira brasileira também saiu de Aix, onde reside, e foi para Sault.
Como assino sua newsletter, vi as imagens que postou e achei interessante que os mesmos objetivos chamaram nossa atenção.
Na verdade, fica difícil fugir da mesmice porque os pontos de vista de algumas cidades são os mesmos e Sault não fugiu à regra. Obviamente, as fotos acabam parecendo cópias. Sacamos fotos muito parecidas nos mesmos lugares e por este motivo fiz questão de escrever esta observação.

MUSEU DA LAVANDA
Endereço276, Route de Gordes – CS50016 – D2
84220 – Coustellet – Tel  +33 (0) 4 90 76 91 / 23 Fax  +33 (0) 4 90 76 85 52 – Contato E-Mail

Horário de Abertura:
Fevereiro a Abril:  de 9.00 h a 12.15 h  e de 14.00 às 18.00 h.
Maio/Setembro: de 9.00 às 19.00.
De outubro/dezembro: 9.00 às 12.15 hs e de 14.00 ás 16.00 hs.
Fechados em janeiro!

Aberto 7 dias por semana a partir de 1 fevereiro – 31 dezembro (excepto 25 de Dezembro)

INGRESSOS PARA VISITAÇÃO DO MUSEU: Últimos bilhetes vendidos até ½ hora antes do fechamento.

CONSIDERAÇÕES
Embora a produção de azeite seja a estrela da Provence, são as plantações de lavanda que ganham destaque quando nos referimos ao Sul da França.
Girassóis, trigo, cerejas, amêndoas e uvas ficam relegados a segundo plano e há quem desconheça que esta região francesa também produza essas delícias. Vamos combinar, ninguém vai à Provence para ver plantações de oliveiras,  amêndoas ou girassóis. E muito menos, trigo.

PROVENCE x LAVANDA
Provence
virou sinônimo de lavanda e não tem jeito. Entretanto, nem toda fileira de tufos roxinhos que você vê cobrindo os campos provençais é da verdadeira lavanda.
Existem algumas diferenças que passam despercebidas, mas que são de suma importância para aqueles que buscam cultura e aprendizado em um campo de lavanda, além da beleza.

A verdadeira Lavanda, empregada em fórmulas medicinais e na perfumaria, é diferenciada: esta espécie cresce em determinada altitude (acima de 800 metros) e prefere terreno seco.
Uma outra espécie, o Lavandim, cria-se no mundo inteiro! De porte mais robusto, cresce entre 0 e 800 metros de altitude.
Percebemos essa diferença em 2013 quando estivemos no Museu da Lavanda em uma propriedade denominada Château du Bois, em  Coustellet.

MUSEU DA LAVANDA – COUSTELET
Foi na recepção desse museu que uma funcionária nos presenteou com uma verdadeira aula exibindo três exemplares de flores naturais.
Começou mostrando-nos a diferença das espécies de plantas e sua aplicação na indústria farmacêutica, cosmética, alimentar e química. Todas as imagens (que não são lá essas coisas) são de minha autoria.


Château du Bois (Museu da Lavanda em Coustellet).


A exposição dura aproximadamente trinta minutos e foi agendada por nossa guia Leonor (www.naprovence.com).

CHÂTEAU DU BOIS
O processo de colheita e a posterior destilação das flores foram apresentados em vídeo. Logo após fomos liberados para visitar as instalações do museu e adquirir produtos fabricados pelo Château du Bois.
Em uma boutique linda de viver uma brasileira transbordante de simpatia nos atendeu e ainda esclareceu algumas dúvidas. Gostei da aula e muito, mas muito mais da boutique.

Clique aqui para acessar o site. Você ficará sabendo a diferença entre Lavanda fina, Aspic e Lavandim, e ainda o emprego dessas espécies até como solvente de tintas! Saberá também qual a melhor época de floração, colheita e outras informações interessantes.

Na época da floração as estradas no Sul da França transformam-se em verdadeiras pinturas. É como se você viajasse segundo após segundo por uma imensa tela.

Nem as rotatórias escapam: são marcadas por canteiros muito bem tratados e, inevitavelmente, você verá alguns tufos de lavanda em algumas delas, bem como em canteiros de calçadas nas aldeias e cidades.

Acontece que há regiões que vivem da produção dessas flores e por isso atraem maior número de curiosos iguais a nós. Imagine um campo todo roxo – quando não roxo e amarelo – encontrando-se com o azul do céu na linha do infinito. Essa é a Provence que fica mais linda ainda quando o vento ondula esse imenso mar de diversos tons de lilás e espalha seu perfume no ar. A Provence é perfumada independentemente de lavandas.

MAIORES PRODUTORES DE LAVANDA
Sault, Saignon, a planície de Valensole (entre as cidades de Puimoisson e Manosque), Grasse e as cercanias de Gordes, são destaques na produção da lavanda.
Não significa que você não possa vê-las em outros lugares, obviamente. O próprio Château du Bois da família Lincelé, cultiva e destila a lavanda fina nas Montanhas de Vaucluse.

No Brasil, por exemplo, desde 2006, lavandas começaram a ser cultivadas em Gramado, no Le Jardin.  Seu período de floração é  de setembro a novembro. Cunha, em São Paulo, também entrou na concorrência.

Endereço: RS – km 115 (3 km do centro de Gramado na direção da Taquara)
Horário: De terça a sexta: 10.00 às 12.00 h e de 13.30 h às 18.00 h.
Sábados e Domingos: De 10.00 h às 18.00 h.
Fecha às segundas-feiras.
Entrada: “De Grátis”. Para terem uma idéia do jardim cliquem aqui. Clipe lindo em HD. Garanto que você vai se sentir atraído por essa lindeza.
No Sul de Minas Gerais, em Monte Verde, as plantações de lavanda começaram em 1998!
Lavandas nativas são encontradas nas Ilhas Canárias, norte e oeste da África, sul da Europa, Mediterrâneo, Arábia e Índia.

Outros produtores: Grã-Bretanha (em especial a Inglaterra), Canadá, Espanha, Holanda, China, Bélgica, Bulgária, Itália, Rússia, Austrália, Alemanha, Argentina, Egito, Iugoslávia, Japão, Tasmânia e EUA. Destaque para a Bulgária, França, Grã-Bretanha (a famosa Lavanda Inglesa), Austrália e Rússia.

E se você quiser saber muito, mas muito mais a respeito de lavanda e alecrim e dicas prá que serve um chazinho dessas plantas cheirosas, clique aqui.

IMAGENS DE SAULT

P1090221 (1280x740)

P1090225 (1024x762)

P1050486 (1024x767)

P1090238 (1024x755)Sault.

P1090247 (1024x768)
Sault.

P1050488 (1024x768)

P1090226

P1050489 (1024x768)Paisagens de Sault.

P1050498 (1024x759)

P1050504 (1024x768)

P1050506 (1024x768)

P1050527 (1024x768)Paisagem em Sault.

P1050530

P1050532 (1024x760)
Notre Dame de la Tour – Sault. Século XII.

P1050546 (1024x625)

RIO GRANDE DO SUL, BRASIL
Para terminar essa postagem, fica a seguinte pergunta: será que nossas hortênsias atraem turistas estrangeiros da mesma maneira que as lavandas francesas atraem os brasileiros?

Só para lembrar, istepô:

168 (1024x768)170 (1024x768)Irmão e minha sobrinha

173 (1024x768)181 (1024x768) (2)180 (1024x768)

NOTA:
A seguir, publico um fato extremamente DESAGRADÁVEL ocorrido com uma turista brasileira no Sul da França.
Fotos publicadas em sites de reservas de hotéis enganam, e muito! Vejam o relato da …

[Vai Viajar, Istepô!] FRANÇA. PROVENCE . Sault e Coustellet – Museu e Campos de Lavanda . Canela . Rio Grande do Sul.
Bom dia! Estive em Sault no início desse mês, especificamente no dia 10 de setembro. Infelizmente não foi possível ver os campos de lavanda floridos pois elas já haviam sido colhidas. Mas mesmo assim a cidade é encantadora! É um vilarejo que parece ter saído dos contos de fadas! Tão pequeno e tão acolhedor! E com uma vista deslumbrante (mesmo sem as florzinhas…). E o dia da feira de produtos típicos!!! É de enlouquecer de tantas cores, frutas, queijos, vinhos e MUITAS coisas feitas com lavanda, inclusive artesanato… uma delícia! Agora em setembro a feira foi na quarta-feira mas não sei se muda ao longo do ano. Adoramos! Mas infelizmente tivemos um problema muito sério e gostaria de registrar aqui para evitar que outros turistas passem pela experiência horrível que passamos. Já havíamos passado por Sault em uma viagem anterior, mas esse ano queríamos passar pelo menos uma noite lá para aproveitar ainda mais. Como é uma cidade muito pequena mesmo havia pouquísimas opções de hotel e sabíamos que não haveria nada muito luxuoso. Acabamos optando pelo hotel Le Signoret pois era em cima de um restaurante onde já tínhamos almoçado e sabiamos que era bem no centro da cidade. A diária do hotel já foi cobrada do cartão no ato da reserva 3 meses antes da viagem, mas tudo bem pois isso estava descrito no Booking. Achei estranho pois logo depois recebi uma mensagem do hotel dizendo que eles já precisavam saber meu horário de chegada, de saída, se ia tomar café da manhã no hotel e se ia usar estacionamento. Informaram que a Recepção do hotel funcionava das 16:00 às 19:00. Valores descritos: Chegada antes das 16:00 – 20 Euros, Check out após às 11:00 – 40:00 Euros, Estacionamento – 40,00 Euros por dia e café da manhã – 20,00 Euros por pessoa. Gente!! Era um hotel super simples e a diária custava 50 Euros! E como eu já havia passado por lá eu já sabia que a cidade possui uns bolsões de estacionamento onde você pode estacionar GRATUITAMENTE, sem risco nenhum pois a cidade é muito segura! Enfim, chegamos no hotel na data marcada, um pouco antes para aproveitar a cidade. Às 16:00 fomos para o hotel fazer o check in, esperamos até 16:30, ninguém chegou, porta trancada e luzes apagadas. Ligamos diversas vezes para os telefones de emergência que constavam num cartaz na porta mas ninguém atendeu. Fui até o Office de Turisme e perguntei se ela podia me ajudar mas ela disse que com esse hotel ela não tinha nenhum contato pois eles davam muito problema. E me deu um panfleto contendo os outros hotéis da cidade caso tivesse problema com esse. Preciso dizer que saí de lá bem preocupada… Passou um carro de polícia e eu chamei, perguntei se eles podiam me ajudar pois tinha uma reserva para aquela noite já paga, já era por volta das 17:00 e o hotel estava fechado. O policial foi comigo lá e ligou para o telefone de emergência. A pessoa atendeu, disse a ele que já tinha me passado um e-mail com a senha da porta e dizendo onde estava a chave do meu quarto, o que era mentira, esse e-mail chegou bem depois que o policial foi embora. Entramos, fomos para o quarto, que era HORRÍVEL! Precário!! Só faltava ter beliches, o resto era um terror, tinha até cheiro de mofo! Quando escutei que alguém chegou na Recepção, que já era por volta das 17:30, fui até lá. Fui tratada com deboche, ironia e desrespeito. Falei que queria meu diheiro de volta e que não ficaria naquele lugar. Ela se recusou a me devolver meus 50 euros já pagos e eu perguntei: e os 20 euros que você deve me pagar? porque se eu chegasse antecipada ou atrasada eu teria que pagar, você chegou quase duas horas atrasada. Ela gargalhou e disse que isso só valia para turistas e não para o hotel. Enfim, pegamos nossas malas e fomos embora de lá. O gerente ficou na porta GRITANDO para irmos embora logo pois não éramos bem vindos lá. Acredito que essa reação tenha sido porque pedi ajuda para a polícia. Fui para o hotel Le Relais, indicado pelo Office de Turisme. Uma gracinha de hotel! Fui muito bem recebida! O quarto era simples mas muito aconchegante, espaçoso e o chuveiro delicioso! Finalmente pudemos decansar e passamos muito bem a noite. E no dia seguinte era a feira! Sensacional, passeamos por tudo e paramos em cada barraca. Quando nos demos conta estávamos em frente ao restaurante do hotel Le Signoret, aquele que praticamente nos expulsou. O dono estava colocando as mesas na calçada para o almoço. Fui até ele e perguntei se era ele que tinha gritado conosco no dia anterior, pois não me lembrava da fisionomia dele e ele disse que era ele mesmo. Então eu disse que ele jamais poderia tratar um turista como havia nos tratado pois quando um turista reserva um hotel não espera somente uma cama, mas ser recebido com gentileza, receber informações da cidade, enfim, ser acolhido, afinal estava pagando por isso. Ele disse que o hotel era dele e ele agia como queria. Eu o chamei de desonesto. ELE ME PEGOU PELO BRAÇO, BEM FORTE, ME ARRASTOU PELA CALÇADA E ME JOGOU NA RUA!! O feirante veio me ajudar a levantar. QUANDO OLHEI PARA TRÁS ELE TINHA ENTRADO NO RESTAURANTE, SAIU SEGURANDO UM BALDE E ME DEU UM BANHO DE ÁGUA SUJA!!!! ME ENSOPOU DA CABEÇA AOS PÉS! Meu cabelo ficou ensopado pingando água suja! Posso garantir que foi uma das piores experiências que passei na vida durante alguma viagem! Reclamei no Office de Turisme, que tentou chamar a polícia, que fica numa cidade próxima mas a viatura tinha saído e voltaria só mais tarde. Infelizmente não pude esperar para registrar queixa pois tinha reserva de hotel em outra cidade que também tinha horário apertado para o check in e precisei ir embora, De qualquer forma a atendente do Office foi muito atenciosa, lamentou muito o occorrido, pediu desculpas em nome da cidade e me pediu para mandar um e-mail bem detalhado pois ela ia encaminhar ao Prefeito pois todos os dias ela recebia reclamações de agressões verbais daquele hotel, mas aquela foi a primeira agressão física e isso passava todos os limites. Continuei minha viagem, passei por Valensole, Moustier St, Marrie, Cassis e Nice. Mas preciso dizer que a exaustão emocional que essa agressão me causou estragou todo o restante da viagem, cada vez que me lembrava daquele homem enorme me arrastando sem saber o que ia acontecer comigo eu começava a chorar. Foi realmente assustador. Enviei meu relato como avaliação do hotel pelo Booking.com mas eles me retornaram dizendo que não podiam publicar pois não estava de acordo com a regras deles, as quais jamais me passaram quais eram. O Trip Advisor publicou. Outra dica: não confie nas avaliações do Booking.com pois eles não publicam as negativas. De agora em diante sempre vou verificar as avaliações de um hotel pelo Trip Advisor, jamais pelo Booking.com. Peço desculpas pelo tamanho do relato mas realmente não desejo que ninguém passe pelo que passei, e num lugar tão lindo, mas onde jamais voltarei…

img186

CONTATO:

2 comentários em “FRANÇA. PROVENCE . Sault e Coustellet – Museu e Campos de Lavanda . Canela . Rio Grande do Sul.”

    1. Pois é, miga. Primeiro dei uma passada pelo Brasil, de Norte a Sul. Ficou faltando o Centro, mas chegarei lá. Quanto ao Sul, tenho um pé em Floripa, você sabe. Fica mais fácil de viajar pelas proximidades. Por esse motivo me senti à vontade para ressaltar a beleza de nossas hortênsias.
      Beijocas e grata pela visita.

      Curtir

Deixe seu palpite!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s