PERU, Lima – Beleza e Cultura por Todos os Lados.


IMAGEM DESTACADA: Vista Parcial da Praça Mayor.

*****

COMO CHEGAR A LIMA:

PELA AVIANCA, NUNCA MAIS!

O agente de viagens avisou-nos de que o check-in teria início às 3.30 h da manhã e que seria conveniente chegarmos cedo por conta do número excessivo de passageiros aguardando na fila.
Pontualmente, o painel anunciou a abertura do check-in. Mas quem disse que alguém apareceu para trabalhar? Quem disse que a companhia aérea relevou a presença de deficientes físicos, idosos, mulheres grávidas e acompanhadas por crianças como preceitua a lei? Não tomaram conhecimento! Vi funcionários que mais tarde trabalharam no check-in chegando após esse horário. Resumo: começaram o atendimento às 4.15 da manhã, quase uma hora após o anunciado no painel, e nem preciso dizer que essa hora a fila era imensa. Imensa por conta desse atraso. Imensa por conta do descaso, da indiferença, da falta de organização da empresa, da falta de respeito.

Senti os funcionários bem confortáveis em sua morosidade, em um “tô nem aí prá vocês” diante dos passageiros. Caras de pau, arrastavam-se de um lado prá outro em pleno horário de trabalho. Só na classe C são 30 filas de 6 passageiros. Imagine esse povo aglomerado em frente aos balcões da TACAixote!…

ATRASOS em SÉRIE:

Mais tarde entendi a jogada: a empresa encaixotadora de passageiros atrasou o voo e isso deve ser bem comum e por isso não se abalam. Danem-se.
Para retornar ao Brasil viajamos de Puno (última etapa da viagem) a Juliaca, onde está o aeroporto. Em Juliaca o avião chegou atrasado de não sei onde e, evidentemente, decolou para Lima com atraso.
De Lima para o Brasil não foi diferente: a tripulação já estava a postos há muito tempo aguardando o avião chegar e nada… Cansados, decidiram sentar próximos aos passageiros. Foi outro voo que decolou após o horário marcado.
Ao chegarmos ao Galeão a cena era a mesma: no desembarque, a tripulação, em pé, aguardava a chegada desse voo para então decolar novamente. Ou seja: useiros e vezeiros em atrasos. Detestei viajar pela AVIANCA.

*****

P1120545 (1024x768)
Passava do horário anunciado para começar o check-in e nenhum funcionário a postos nos guichês. Apenas um! funcionário mexendo nas fitas.

*****

P1120543 (1024x768)
3.45 da manhã foi que este mesmo funcionário iniciou a arrumação das colunas e fitas para organizar a fila.

*****

Fila que começava a ser formar antes das 3.30 h, horário marcado para começar o check-in.

*****

3.45 h da madrugada e nenhum funcionário a postos.
3.47 h da madrugada e nenhum funcionário a postos.

*****

P1120546 (1024x768)
4.04 h – Ninguém na frente de trabalho.

*****

Conforme escrevi acima, o painel do aeroporto já havia anunciado o início do check-in quando um funcionário da empresa começou! a distribuir colunas de metal e fitas para organizar a fila.
Devido a esse desrespeito o encontro com nosso guia de turismo, que deveria ser às 4.30 h, evidentemente não aconteceu.

*****

UM POUCO DE HISTÓRIA:

Desde sua fundação por Francisco Pizarro, em 18 de janeiro de 1535, muita água rolou embaixo dessa ponte – o Centro Histórico de Lima  – até que a UNESCO se pronunciasse.
Em 1988 declarou apenas o Convento de São Francisco como Patrimônio da Humanidade. Três anos mais tarde, em 1991, a UNESCO estendeu sua proteção a mais 608 monumentos históricos datados da época em que os espanhóis permaneceram na cidade.

QUEDA e APOGEU do CENTRO HISTÓRICO:

Em 1746 um terremoto destruiu boa parte da cidade.
Entre 1881 e 83 foi ocupada por chilenos por conta da Guerra do Pacífico.
Do início de 1950 ao final de 1960 a cidade foi tomada pelo espírito da modernização e prédios de apartamentos e escritórios foram erguidos no Centro Histórico.
Em 1970 teve início um período de degradação, complicando-se na década seguinte pelo abuso de circulação de veículos.
Foi no final de 1990 que teve início a recuperação do Centro de Lima com a expulsão de ambulantes, o combate ao crime e a restauração dos monumentos históricos.

*****

Permanecemos pouco tempo em Lima (5 dias) e, mesmo caminhando bastante e visitando alguns pontos de interesse, acho que não conseguimos desfrutar de 10% do que a cidade oferece.

Uma atração interessante que fizemos acompanhados por guia foi à Basílica e Convento de São Francisco e outra ao Museu Oro del Peru, magnífico – por motivos óbvios, fotos e filmagens são proibidas.

100_1204 (945x1024)
Basílica e Convento de São Francisco, construção do Século XVIII. Destaca-se o altar dedicado a São Judas Tadeu, construído totalmente em prata.

 *****

Porta do Museu do Ouro.
Porta de Entrada do Museu del Oro de Peru.

*****

Antiga Estação de Trem Desamparados.
Antiga Estação de trem Desamparados em estilo acadêmico francês. Atualmente funciona um centro cultural.

*****

100_1214 (1024x768)
Plaza Mayor. Ao fundo: Palácio Arquiepiscopal à esquerda e Catedral.

*****

A Praça Maior data da fundação da cidade, em 1535. Foi palco de execuções e de importantes momentos históricos, tais qual a Proclamação da Independência do Peru.

*****

DSCN1558 (1024x762)

O Palácio Arquiepiscopal, no estilo neocolonial, foi projetado em 1916 e construído em 1922. O tipo de arquitetura agradou e acabou se estendendo até 1940.

*****

DSCN1545 (1024x942)
Catedral. À esquerda, o Palácio Arquiepiscopal.

*****

100_1217 (1024x755)

Acima e abaixo, detalhes do Palácio de Torre Tagle, uma das construções mais fiéis ao estilo colonial peruano do Século XVIII.
Foi erguido como residência do Marquês de Torre Tagle. Adquirido pelo governo em 1918, hoje abriga o Ministério das Relações Exteriores.

100_1219 (768x1024)

*****

100_1228 (1024x758)
Jirón Carabaya, ao lado do Palácio do Governo. Jirón significa rua de pedestres.

*****

DSCN1543 (1024x768)
Empresa Municipal Inmobiliaria de Lima.

*****

DSCN1544 (1024x754)

Os balcões que tanto enfeitam a cidade foram oferecidos à adoção para particulares e empresas a fim de que os mantivessem conservados.

Apesar da iniciativa da Prefeitura, cujo objetivo foi manter essas obras de arte da época republicana em bom estado de conservação, a tentativa foi um tanto frustrada graças às construções que se ergueram em suas proximidades e que acabaram por danificá-los. E como o mundo não para…

*****

Em futuras postagens ainda há mais assunto – não me esqueci do Barranco, do Parque das Águas, do Mercado Público, do sítio arqueológico de Uaca Puclana, dos restaurantes. Ah!… os restaurantes…

*****
DSCN1547 (1024x768)

*****

VAI VIAJAR, ISTEPÔ!
(Todas as fotos foram clicadas pela autora do blog)

*****

Moderadora: Rosa Cristal

Uma consideração sobre “PERU, Lima – Beleza e Cultura por Todos os Lados.”

Deixe seu palpite!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s