ARGENTINA: El Calafate – Cidade Alegre, Colorida, e Movimentada (parte I)


FOTO em DESTAQUE: Aterrissando em EL CALAFATE.
Na foto vemos o Rio Santa Cruz.

Abaixo: Lago Argentino, um dos berços do Rio Santa Cruz. Sua nascente, na verdade, é no Lago Viedma.

NÃO CAIA NESSA! O MAU SERVIÇO do receptivo Huellas del Sur.
(Nem sempre a última impressão é a que fica)

A responsabilidade do transfer aeroporto-hotel ficou a cargo de uma empresa de turismo que deixou a desejar em seus serviços – a Huellas del Sur  (7 de diciembre, 29, local nº 2), quase ao lado do hotel em que nos hospedamos.
Primeiramente, não havia ninguém da Huellas nos aguardando no desembargue. A aterrissagem adiantada em aproximadamente 10 minutos não justificou a falha da empresa… Pelo contrário, serviu para nos comprovar que a Huellas, pelo menos naquele dia, não acompanhou os horários das aterrissagens.
Já estávamos prontos para seguir para o hotel, em taxi, quando um funcionário de outra agência percebeu a situação e  aproximou-se de nós; nem foi necessário pegar o celular para ligar para a Huellas, porque ele mesmo se encarregou de fazê-lo e nos informou o paradeiro do funcionário da empresa.
Aguardávamos no aeroporto fazia aproximadamente meia hora quando o responsável pelo transfer apareceu. Tranquilamente. Desculpou-se pelo atraso, coisa e tal, mas… não gostei dessa desatenção.
Mais tarde passamos na agência para acertar horários de passeios. Foi aí que aquela má impressão da manhã só piorou – em dado momento a recepcionista ventilou a hipótese de termos que pagar multa!!! por dois passeios que já havíamos pago e dos quais desistimos. Nunca ouvira até então, um absurdo semelhante desde 1985, quando comecei a botar o pé fora do Brasil.

Insistisse a funcionária nessa ameaça, certamente procuraríamos, em princípio, a Secretaria de Turismo de El Calafate para nos inteirarmos direitinho dessa história.
Felizmente, não foi preciso. Devo ter bradado um COOOMO??? no mais potente Surround, que a criatura desistiu da idéia e não tocou mais no assunto.
Dessa mesma funcionária mal orientada obtivemos outra informação equivocada: a de que deveríamos providenciar lanche no dia do passeio ao Perito Moreno (nada a ver com o dia da saída para o “Safari” Náutico) e não era nada disso! No próprio estacionamento há um restaurante imenso!!! com ambientações diferentes e várias opções nos cardápios: você pode escolher desde sanduíches e pratos à la carte, a um buffet variadíssimo servido em um amplo salão. Além disso, há um Café/Bar onde o turista encontra vários tipos de doces e salgados, além de café, chá, cervejas, água, sucos e refrigerantes, ou ainda poderá tomar um bonito sorvete, se preferir. Não havia a menor necessidade de termos pago um lanche sem graça. que os hotéis já estão acostumados a preparar nesses casos.

O mesmo aconteceu em nossa ida à Estância Cristina, que dispõe de um restaurante maravilhoso, onde serviram comida de qualidade. Para facilitar, agende seu almoço com uma empresa de turismo confiável.
Foi na ida para o aeroporto, no dia do embarque para Buenos Aires, que o motorista nos apresentou o opinário. Queria que o preenchêssemos dentro do carro em movimento. Desculpamo-nos, mas não o fizemos por motivos óbvios. Houve tempo suficiente para preenchermos o questionário enquanto estávamos no hotel (praticamente ao lado da empresa) e o motorista não se manifestou a respeito.

Desfecho: como não estávamos confiando na empresa, eu mesma confirmei o horário do voo para Buenos Aires e não deu outra: a Huellas errou mais uma vez. Fomos nós que lhes chamamos atenção para mais esse tropeço! Caso contrário, não teríamos o transfer a tempo e horas.

A Huellas del Sur prestou péssimos serviços na entrada, no meio e na saída. Literalmente. 

Os veículos utilizados nos passeios dos quais participamos eram adequados ao terreno por onde trafegaram; os motoristas, cautelosos e atentos, e os guias, atenciosos e bem informados.

DO AEROPORTO AO CENTRO DE EL CALAFATE

O aeroporto – novo e moderno (inaugurado no ano 2000) – fica cerca de 20 km do Centro da cidade, em área desértica.
A sensação que tive ao avistar El Calafate de longe, era a de estar chegando a um oásis. Aquela cidade aparentemente tão pequena, escondidinha entre montanhas, que vislumbramos a distância, ia se revelando à medida que nos aproximávamos.
Ao adentrarmos a cidade, uma grande surpresa: El Calafate está repleta de boutiques, restaurantes, hotéis de belas arquiteturas, centros comerciais, pizzarias, lojas de chocolate…, e um Cassino. Ruas floridas, lindas e convidativas a uma caminhada, emolduram a principal avenida.

O clima é carregado de animação, de alegria, de felicidade. Vi um brilho especial vindo de sorrisos; ouvi a música de conversas em bom som, de pessoas transbordantes de alegria; vi satisfação estampada em rostos de gente feliz ao transitarem pelas ruas. Uma cidade completa onde me senti segura e muito à vontade. El Calafate você adota! E tal qual nos versos de Tonico e Tinoco, ao exaltarem seu amor a Minas Gerais, “quem te conhece não esquece jamais”.

BALADAS? EL CALAFATE TEM

Para quem não consegue ficar sem balançar o esqueleto, a cidade conta com alguns salões para você dançar e/ou tomar seu drinque preferido a fim esquentar um pouco a matéria, ou seja, esse corpitcho que seu deus lhe deu.
Uma atração que me pareceu interessante bisbilhotar, mas não ousamos entrar, foi o Glaciobar – ambiente descolado montado e esculpido em gelo, onde mesmo que você não queira, acaba tomando um drinque e/ou dançando para se esquecer. Lá, deve ser caso de necessidade.

Segundo informações, a temperatura do “iglu” é de 10 graus negativos e há um tempo limitado (menos de meia hora) para os frequentadores permanecerem nesse frigorífico. Vimos que as pessoas vestem uma roupa prateada com capuz. Os pertences ficam em um armário.
A tentação para conhecê-lo foi grande, mas a prevenção falou mais alto. Você há de convir que dois jovenzinhos – uma com 69 anos e outro com 76 – já não podem se dar ao prazer de executar qualquer manobra radical. Estávamos praticamente no início da viagem e ficamos temerosos em adentrar um ambiente tão frio. Vai que esse “golpe de ar” fizesse algum estrago!… Ói nós aí, complicando a viagem…

QUARTEL GENERAL QUE É PURO DELEITE

El Calafate é mais que isso. Também, pudera! É ponto de partida para uma das maiores atrações da América do Sul, o Parque Nacional Los Glaciares – criado em 1937 com o objetivo de preservar mais de 700.000 hectares de gelo glaciar e continental.

Nota: entende-se como Gelo Glaciar ou Era do Gelo, um período geológico em que o planeta Terra sofreu baixas temperaturas em sua superfície. O resultado desse clima extra frio de longa duração foi a expansão das capas de gelo continentais, polares e em zonas montanhosas.

El Calafate é a cidade mais próxima daquela que é considerada a maior geleira do mundo, o Glaciar Perito Moreno. São apenas 80 km que separam a cidade de uma das maiores maravilhas que você poderá ver na face da Terra.  Apesar de pequena (pouco mais de 21 mil habitantes), El Calafate soube se estruturar para receber o número expressivo de turistas que a procuram como ponto de partida para as diferentes atrações que a natureza oferece em seu entorno.

Sem contar a principal atração – o passeio até ao Perito Moreno – é de lá que você parte em direção ao ponto de vista do Glaciar Upsala, ao Lago Buenos Aires, à Estância Cristina, a El Chaltén e à caminhada na geleira Perito Moreno!

dscn0302-1024x763

Na foto de despedidas acima, uma parte do arquipélago que emoldura Ushuaia. Abaixo, uma tomada de nossa chegada a El Calafate. Destaque para o Lago Argentino, o maior da Patagônia Argentina.

dscn0315-1024x768

Baixamos bagagens no quarto do hotel e saímos para nos aproximarmos dessa festa que é El Calafate.

dscn0331-768x1024
Parque Nacional Los Glaciares – pequeno, mas charmoso como toda a cidade.

*****

dscn0332-1024x768

El Calafate é atraente, limpa, bonita e repleta de novidades. Não há um quarteirão do Centrinho em que não tenhamos parado para fuxicar alguma coisa.

dscn0333-1024x768

Atentem para a belezura que é esta farmácia na foto acima.

dscn0334-1024x768

dscn0335-1024x768

Acima e abaixo, trechos da principal artéria da cidade: Avenida del Libertador General San Martin.

dscn0336-1024x589

Abaixo: neste shopping a céu aberto há cafeterias, lojas de souvenires, boutiques e um restaurante.

dscn0337-1024x768

dscn0338-768x1024

Um shopping coloridíssimo que encanta adultos e crianças.

dscn0340-1024x768

dscn0341-1024x768

dscn0345-1024x768

Abaixo: nesta cafeteria tomamos um saboroso capuccino e dividimos uma fatia de torta de maracujá. Fatia prá lá de generosa que acabou rendendo até o dia seguinte. Um docinho antes de dormir, cai bem.

dscn0346-768x1024Cafeteria charmosa, de cardápio variado. Na vitrine, à sua disposição, salgados e doces de dar água na boca, para acompanhar um chá ou um café – do jeito que você preferir.
dscn0349-1024x768

= El Calafate vale à pena. Trata-se de uma cidade apaixonante. Relaxe e deixe-se envolver por seu encanto. Participe dessa festa =

img186-2Com a palavra, ROSA CRISTAL.

2 opiniões sobre “ARGENTINA: El Calafate – Cidade Alegre, Colorida, e Movimentada (parte I)”

Deixe seu palpite!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s