BRASIL . RIO DE JANEIRO . CT Boucherie de M. Troisgros: “Que Marrravilha!” No Leblon.

IMAGEM DESTACADA – Em se tratando do mago Claude Troisgros não poderia ser diferente: basta fechar os olhos e escorregar o dedo no cardápio: onde parar, pode pedir porque vai acertar na mosca.

googlemaps https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m18!1m12!1m3!1d3673.135859263352!2d-43.22644828514679!3d-22.98203108497358!2m3!1f0!2f0!3f0!3m2!1i1024!2i768!4f13.1!3m3!1m2!1s0x9bd5b23d8059e7%3A0xf9775d9a81592d02!2sCT+Boucherie!5e0!3m2!1spt-BR!2sbr!4v1488980668885&w=600&h=450]Já havíamos almoçado na boucherie do Rio Design, gostamos muito, e daí decidimos partir CT  Leblon, bem mais próximo de onde moramos.
Ambos primam pela qualidade, ambiente aconchegante, recepção simpática, serviço atencioso e pronto atendimento.
Achei que o cardápio era cópia fiel do restaurante do Rio Design, mas me enganei. Senti falta daquele peixe grelhado no espeto, simplesmente fantástico.
Pescado havia no cardápio, mas apenas salmão. E como sou fã de salmão cru e não abro mão para qualquer outro tipo de preparo, apelei para a carne vermelha (escalopes de mignon) e não me arrependi: são porções generosas que trazem quentes para sua mesa, pormenor de essencial importância! Comida tem que esfriar em seu prato e não na cozinha do restaurante.
Nossos amigos também adoraram o CT: elogiaram o ambiente, a variedade do cardápio, o ponto certo de cozimento das carnes; ressaltaram a maneira especial e criativa de servirem os acompanhamentos e, por tudo isso e mais alguma coisa que deixei escapar, prometeram voltar.
Em comum acordo, quase uníssonos, salvamos o glorioso chuchu grelhado. A farofa de panko e o purê de maçã e maracujá foram cantados em verso e prosa. O risoto de quinua, o purê de baroa, a ratatouille, a banana frita etc, etc, etc…
E a sobremesa??? A sobremesa é um capítulo à parte: mousse de chocolate servida em pá! Pode acreditar. Não dá nem dá para explicar. Você só terá noção e formará opinião quando saboreá-la – deu!
Essas delícias que o chef Claude Troisgros cria para nós, são supervisionadas pelo chef Batista, sim-pa-ti-cís-si-mo, que muito nos honrou com sua visita à nossa mesa.

E por falar no chefe Batista, li uma receita de feijoada que ele prepara, que é para inglês nenhum botar defeito.
A receita, especialíssima, acabou migrando para as “boucheries” do chefe Claude Troisgros, onde está fazendo o maior sucesso. U-lá-lá!, será nosso próximo alvo.

A idéia é muito boa: por se tratar de restaurante especializado em carnes, nada mais informativo que o desenho de um boi, tatuado dos chifres às unhas com o nome das peças de carne.

O restaurante não conta com muitas mesas e por isso é interessante chegar cedo. Nós, por exemplo, por muito pouco não gritávamos: – Ô de casa!…

Abaixo: chips de aipim, torradíssimas, manteiga e bolinhas de queijo de cabra bem temperadas.

Abaixo, o escalope de filé mignon ainda pouco cercado pelos acompanhamentos. Essa solidão, rapidamente, teve um final feliz.

Não disse? Aos poucos, aumenta a circulação dos garçons pelo salão e o desfile de acompanhamentos começa. Essa valsa permanece até que você esteja satisfeito.

O simpático chef Batista, braço direito de Monsieur Troisgros, em visita a nossa mesa. O papo foi ótimo!

Petit Gateau, doce de leite e sorvete de tapioca compõem a fórmula dessa maravilha.

Abaixo: afirmo com segurança que a mousse contida nessa tigela que o amigo trouxe para nossa mesa “foi suficiente” para servir 4 pessoas.

E ainda por cima, acompanhada de amêndoas em lâminas e molho aromatizado com baunilha… Nem Zeus! comia tão bem no Olimpo.

E para finalizar, não poderia deixar passar esse momento em branco: a estrelinha do blog, Bebella, finalmente!, conseguiu comer a sobremesa.
Explico: todas as vezes que nos reunimos para comer fora, o programa era um jantar.  Como a fôfa dorme cedo, todas as vezes, na hora da sobremesa, Isabella já sonhava nos braços de Morfeu. Daí tivemos a idéia de trocar a noite pelo dia: por que não nos encontrarmos em um almoço?

E foi assim, com uma idéia tão simples, que nossa Bebella conseguiu saborear a sobremesa. Ei-la na foto, linda de morrer e feliz da vida, quase escondida atrás do pratarraz de mousse.

CONTATO:

[contact-form-7 404 "Not Found"]

 

6 COMMENTS ON THIS POST To “BRASIL . RIO DE JANEIRO . CT Boucherie de M. Troisgros: “Que Marrravilha!” No Leblon.”

  1. marcelobaugusto@uol.com.br adicionado em 9 de março de 2017

    Fotografias e texto maravilhosos!!! Foi uma tarde especial e inesquecível. Destacaria ainda o bife ancho, pedido por mim e o medalhão de mignon com crosta de ervas que minha mulher comeu, ambos irretocáveis! Um show!

  2. Avatar Rosa Silva disse:

    Mais dica excelente de Madame Marília. Bjus

  3. Avatar Edith Kiessling disse:

    Amiga, quanto custa essa maravilha? Fiquei curiosa!

    • Amiga, vai depender do prato principal que você pedir. Na primeira etapa estão as carnes vermelhas, peixes e frango. Cada corte da carne bovina é um preço. Os acompanhamentos fazem parte deste preço. Para você ter uma idéia: éramos quatro adultos e uma criança. Houve bebidas (sucos, cervejas, sobremesas – todos a saborearam -, e cafés). Com a gorjeta, foi R$821,00. Há pratos diferenciados. Por exemplo: aos sábados há uma feijoada nas boucheries (Leblon e Rio Design Barra).Esses preços, só consultando o menu,no site. Não se assuste com o preço. A quantidade de acompanhamentos é infinita e a pessoa come à vontade. No cômputo geral, é uma pechincha! Confira. Você vai gostar. Bjks.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: