BRASIL . PARANÁ . Travessia Caiobá-Guaratuba, A Caminho de Florianópolis.

IMAGEM em DESTAQUE: Desembocadura do Rio São João.

Deixamos Antonina pela PR-408 em direção à Morretes; nosso objetivo era acessar a BR-277 para alcançarmos a PR-508 e chegarmos primeiramente a Matinhos.
Seguindo orientação das placas de trânsito, finalmente entramos na PR-412, rodovia que nos levaria até à travessia Caiobá/Guaratuba.

No sentido Caiobá-Antonina, trafegar pela Avenida Atlântica (mão única) é muito agradável. Já fizemos esse trajeto duas vezes e gostamos muito. Aconselho-o.

AVISO AOS NAVEGANTES.

Três balsas operam na travessia, o que torna o serviço super rápido.

Para assistir ao curto vídeo da travessia, clique aqui.

DEIXANDO CAIOBÁ.

CHEGANDO A GUARATUBA.

Atravessamos a balsa, descemos em Guaratuba, e continuamos nossa viagem em direção à Garuva pela mesma PR-412, que, ao cruzar a fronteira Paraná/Santa Catarina, torna-se SC-415.
Garuva está na beira da BR-101; por isso bastou-nos passar por baixo da BR e seguir em direção à Florianópolis: mais 211 km de estrada.


Se você gosta de viajar, trace seu roteiro e bote o pé na estrada. Não bobeie:

 

9 COMMENTS ON THIS POST To “BRASIL . PARANÁ . Travessia Caiobá-Guaratuba, A Caminho de Florianópolis.”

  1. Avatar Rosa Cristal disse:

    ESSE SITE É UMA MARAVILHA É UM VERDADEIRO MAPA VIVO.

  2. Avatar alexandre disse:

    Olá!
    Quando eu tinha uns 4 anos, minha família fez uma viagem de carro até Santa Catarina, não lembro até em que cidade. Lembro que pegamos a balsa na volta. Claro, com 4 anos eu não tinha muito noção de onde estava, mas na balsa eu tive a sensação de ter ido muito longe.

    Um abraço!

    • Olá, Alexandre! Tudo bem?

      Aos 10 anos de idade meu pai decidiu sair do Rio e viajar para Florianópolis, sua cidade natal. Levamos 3 dias. O carro? Um Ford 35. Sem freio! Ano seguinte, com um Ford 37, fizemos a viagem em 4 dias. O carro enguiçava a toda hora. Com o passar dos anos as estradas e o carro de meu pai foram melhorando. Pontes foram construídas ao longo da BR, mas não substituíram as balsas.
      Uma dessas travessias é de Navegantes para Itajaí – cruza o Rio Itajaí-Açu. Pode ter sido essa; quem sabe? Nesse caminho que traçamos tivemos que atravessar 2 rios. É bem diferente que trafegar pela BR-101. Passo por essa estrada há 62 anos… Muitas lembranças, Alexandre. Passamos por cada sufoco que você não imagina. Dava para escrever um bom livro.
      Obrigada Alexandre, por seu comentário.
      Abraço da Marilia.

  3. Olá, Alexandre! Você tem razão. Com um celularzinho na mão a gente vai longe…
    Abraço da Marília.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *