BRASIL . SANTA CATARINA . FLORIANÓPOLIS – Casa Açoriana Artes & Tramóias Ilhoas. Galeria de Artes.

IMAGEM DESTACADA – Interior da Loja.

Você tem toda razão: a data marcada nas fotos é antiga, mas a postagem é recente. O que você ainda não sabe é que esta galeria ocupa esse casarão colonial (final século XVII) há muitos e muitos anos; portanto, está valendo.
A galeria se mantém devido à variedade de artes e artesanatos oferecidos: peças decorativas e utilitárias estão distribuídas pelo chão, paredes e em prateleiras superlotadas.
Há muitos anos adquiri um baú de madeira que, segundo a vendedora, estava esperando por um comprador fazia aproximadamente 2 anos.
Comprei aquele baú sem alça, literalmente, que me deu o maior trabalho para embarcá-lo no avião para o Rio. E o pior: tanto em Florianópolis, quanto aqui no Rio, tive que esperar por um taxista que tivesse um carro com uma mala em que ele coubesse.
Pois é: e “como a ave que volta ao ninho antigo”, o baú está prontinho: foi embaladíssimo para voltar para Florianópolis a qualquer momento. Pode isso, Arnaldo? Pode.

No casarão encontramos tapetes artesanais de qualidade, bem como mantas de algodão tecidas, caprichosamente, em teares manuais – são bem duráveis, decorativos, úteis e podem ser lavados com frequência porque não desbotam. Vira e mexe dou uma volta por lá.
Tudo na galeria é uma tentação: brinquedos, instrumentos musicais, quadros, esculturas, imagens sacras, panelas de barro, pratos de paredes, castiçais, enfim…, centenas de objetos para deixá-lo em dúvida no momento da escolha.

Móveis, livros, quadros a óleo, gravuras, cestas, sinos de vento…

Petecas! Quem não jogou peteca quando criança? O jogo de peteca tem origem em Minas Gerais. Foi criado pelos índios antes mesmo de os portugueses aportarem no litoral brasileiro.

Velas, cabides, jogos americanos, pedras portuguesas pintadas, sabonetes artesanais, enfim, muita coisa para deixar o visitante apaixonado e não saber o que comprar.

E na saída, esta senhora que podemos chamar de Mme Barro(s), por motivo óbvio, oferece conselhos – esse papel enroladinho em forma de cigarro dentro da cuia – mediante pagamento de módicos reais. Antigamente o lugar era ocupado por uma bruxa feia de doer. Tirei a sorte uma vez e deu.

É isso aí. A casa fica em um de meus bairros prediletos em Florianópolis: Santo Antonio de Lisboa bairro histórico e polo gastronômico da Ilha de Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: