Arquivo da categoria: ACHADOS

HOLANDA. AMSTERDAM. Cobra Café: É Cobra Engolindo Cobra.


IMAGEM DESTACADA: Acesso ao subsolo do Cobra Café.


O MOVIMENTO COBRA
foi criado por artistas vanguardistas europeus procedentes de Copenhague, Bruxelas e Amsterdã.
O manifesto foi redigido e assinado em 05/11/1948 em um Café de Paris, por 30 artistas, dentre os quais havia pintores, escultores, ceramistas, poetas, escritores…
Quem batizou o grupo foi o poeta e pintor belga Christian Dotrement (1922-1979), criando um acrônimo formado pelas iniciais das capitais citadas acima: CoBrA.
Cores vivas, bem como formas indefinidas – e algumas que lembram desenhos infantis –  caracterizaram o movimento inspirado justamente nas crianças e nos débeis mentais.
Não se prendiam à Escolas – o recado era dado com pinceladas espontâneas. Relevos criados pela aplicação excessiva de tintas transmitiam agressividade, mas esse também era o objetivo dos pintores. A liberdade para criar era total; o movimento era um extravaso daqueles que sobreviveram aos horrores da Segunda Grande Guerra.

O CAFÉ COBRA
Mas o que isso tem a ver com esse movimento? Tudo! A começar pelo nome do estabelecimento e pela decoração do interior, que exibe obras de Appel, Brands, Constant, Wolvecamp, Tajiri e Corneille – artistas que participaram do grupo dos 30.
A pintura de Brands, por exemplo, serviu de inspiração para a decoração do piso e das cadeiras. Pinturas e poemas foram reproduzidos nos uniformes dos funcionários e nas pituras das louças, menus e rótulos de vinhos.
Uma divisória super original de autoria de Tajiri divide visualmente os ambientes. O Cobra é frequentado por pessoas de todas as idades. O ambiente é iluminado no sentido mais amplo da palavra. É lugar de gente animada, festiva. Bastante concorrido.

O CARDÁPIO
é muito variado e você pode contar com a ajuda da turma que atende as mesas: são simpáticos, receptivos, conhecem bem o que a casa anuncia, e nos deram ótimas dicas para o almoço.

O cardápio oferece opções frescas, saudáveis e de combinações muito saborosas.

FESTAS
Vários tipos de ambientes estão disponíveis para casamentos, jantares requintados e festas em geral.
Para alguns tipos de recepção a casa oferece até 5 pratos variados ou um buffet de luxo. Jantares também são servidos para o mínimo de 40 e o máximo de 100 pessoas.
Resumindo: o Cobra tem espaço para até 400 pessoas se acomodarem. Bebidas, comidas e decoração poderão ficar por conta do restaurante. Basta combinar.


No sub-solo havia uma exposição que não tivemos a curiosidade de visitar apesar do convite original:

Ao descer as escadas de acesso aos banheiros, nos deparamos com mais obras de arte adornando as paredes.

Mas as atrações não se limitam à exposição informal do CoBrA: o banheiro também está inserido neste contexto.

BOUTIQUE NO BANHEIRO!
Foi a primeira vez que vi uma boutique, mesmo com poucos ítens à venda, “no hall” de um banheiro.
Bonés com o desenho da bandeira holandesa (o X) dentro de um coração, cabides de inox, livros e capas de chuvas, ítens da Heineken, o conhecido I AMsterdam e ingressos para Heineken Experience estavam à venda.

E como todo banheiro – sem contar com o que você usa no hotel e restaurantes -, é pago, instalaram a máquina bilheteira e catracas também neste hall. Mas, a surpresa maior ainda estava por vir.

A abundância de aço inoxidável chamou-me atenção. Como sabemos, a contaminação por bactérias nesse tipo de metal é mínima e não só por isso é adotado em hospitais.
É o metal ideal para ser empregado em banheiros públicos e o banheiro do Cobra mostra que sim.

Não tenho lembrança de ter visto em nenhum banheiro, indicação para que os papéis utilizados nos reservados sejam descartados nos vasos sanitários. Esse foi o primeiro, e a mensagem chega de maneira prá lá de chique: está emoldurada. Concluí, pelo requinte da apresentação do recado, que trata-se de mais uma obra de arte do acervo do Cobra. Vai saber!…

Mas o choque de modernismo e avanço tecnológico estava mesmo era nas portas das “casinhas” – era assim que alguns se referiam aos banheiros no século passado.
Prestenção! Quando os compartimentos estão vazios, os tronos ficam à mostra – até aí…, tudo bem.

Acontece que, na hora em que você gira a chave – só gira a chave! – o vidro fica embaçado e ninguém vê mais ninguém.
Na hora em que você gira novamente a chave para abrir a porta, ela fica transparente de novo. Essa mudança ocorre em fração de segundos!

Os menos atentos deverão ter todo cuidado no momento de abrir a porta. Caso a pessoa ainda não esteja composta e gire a chave… Foi o caso da jovem que não chega a aparecer na foto: foi apressada e acabou mostrando mais do que devia.

Esses BANHEIROS,
localizados no subsolo do café, são públicos e os bilhetes de entrada para esta atração são os mais baratos da praça: $0,50 (cinquenta centavos de euros). Normalmente pagávamos um pouco mais.
E ainda: há um pequeno desconto para quem apresentar a conta do Cobra Café no banheiro, e há outro desconto no Museu Cobra de Amstelveen para quem apresentar o ticket do banheiro (toiletvaucher). É Cobra engolindo Cobra

 

 

BRASIL. CEARÁ. Fortaleza: Armazém dos Sabores – Imperdível!


IMAGEM DESTACADA: Visão parcial do Armazém dos Sabores.

Fomos ao armazém 3 vezes. A recepção simpática e acolhedora das proprietárias e dos funcionários nos cativou de imediato.
Quando vimos a variedade do self-service e o conteúdo das vitrines, mais encantados ficamos com o Armazém.

Também, pudera! Vejam a variedade de pães, torradinhas, biscoitos doces e salgados, bolos de diversos sabores, tortas, roscas, rocambole… Tudo no buffet é fresco e elaborado com esmero.

Essa mesa água a boca só em olhá-la. Nos rechauds fumegavam sopas, arroz, feijão, carnes e outras delícias, bem aquecidos graças ao calor de resistências infalíveis. Era tanta comida que não sabíamos por onde começar.

O divinal Armazém dos Sabores ainda oferece um mini mercado com uma variedade incrível de biscoitinhos, sucos, geléias, doces, iogurtes, refrigerantes, águas minerais, frutas secas e oleaginosas, leites, frios, farinhas prá viagem.

Biscoitos de ingredientes naturais, adoçantes, molhos, azeites, cereais e sorvetes. Até livros estão à disposição dos clientes.

O Armazém dos Sabores bate um bolão! Recomendo sem restrições.

" Se ao escalar uma montanha na direção de uma estrela, o viajante se deixa absorver demasiado pelos problemas da escalada, arrisca-se a esquecer qual é a estrela que o guia." (Antoine de Saint-Exupéry)

 

BRASIL. CEARÁ, CE – O Charme do Comércio de Jericoacoara.


IMAGEM DESTACADA: Por do Sol visto do Morro do Serrote, em Jericoacoara.

Pois é… Este é o mapa de uma das filiais do Paraíso. E está no Brasil! No Ceará, minha gente! No Ceará! Chama-se Vila de Jericoacoara – um lugar que atrai turistas do mundo inteiro e está ficando cada vez mais charmoso.
Sem entrar no mérito da questão anunciada no título da postagem, não posso deixar de citar duas atrações badaladas que ficam próximas à Vila:
1 – uma delas é a Duna do Por-do-Sol,  parte da moldura da própria Jericoacoara. É para lá que migram os visitantes que desejam ter uma visão privilegiada do ocaso.
A bem da verdade, esta duna já foi bem mais alta e havia quem a subisse em lombo de burro – quebra-galho oferecido por alguns jovens habitantes da vila, que encontraram nesse recurso a vantagem de descolar uma graninha dos mais comodistas assim como eu. Apesar de que, há 5 anos, escalei a duna na base da “viação canelinha” – minhas próprias pernas.

2 – A outra atração é a Pedra-Furada, cartão postal de Jericoacoara, onde você poderá chegar de algumas maneiras:

a) – A pé pelo Morro do Serrote. Trata-se de uma caminhada de aproximadamente 1 hora (ida e volta), mas que vale à pena. Não fica pesado porque você chegará lá, fará uma boa parada para clicar fotos ou fazer um vídeo…, tomar um banho de mar, quem sabe? Sentar-se em uma pedra para apreciar a paisagem… e depois retornar. O caminho começa na Rua do Forró. Basta pegar o trecho da lateral da Igreja Matriz e seguir.

b) – Em charrete, pelo mesmo Morro do Serrote.
Em agosto deste ano (2018) optamos por esse conforto, mas a desvantagem é que você, literalmente, só chegará à Pedra Furada se tiver disposição para descer o morro  a pé, tarefa que me pareceu trabalhosa.
Como fomos assistir apenas ao por-do-sol, não me aventurei em bisbilhotar por onde passar porque começou a escurecer. Escolhemos este horário por ser menos quente. Durante o dia a sensação é a de que abriram um maçarico em cima de você.

Durante o trajeto conversamos muito com esse jovem. Foi ele quem nos conduziu em charrete até a Pedra Furada.
Segundo nos informou, a prefeitura está providenciando outro caminho paralelo a esse de areia, só que será pavimentado. O objetivo é oferecer mais conforto a passageiros, charreteiros e, principalmente, aos animais.
Em terreno pavimentado fica mais fácil para os burros puxarem as charretes; e como não haverá buracos na estrada, não haverá solavancos; não havendo solavancos, o conforto será geral.
O jovem charreteiro nos contou também que é proprietário de 3 burros. Segundo ele, os animais ficam muito cansados por terem que puxar as charretes nesse tipo de terreno e por isso é preciso revezá-los.
Esteja certo de uma coisa: a pé ou de charrete, o passeio vale à pena e o aconselho. Aprecie as paisagens sem moderação. In loco, claro.

Fim de tarde visto do Morro do Serrote, em Jericoacoara.

c) – Pelo caminho das pedras, na maré baixa. Pode lhe parecer estranho, mas foi muito bom! Há gosto prá tudo, não é mesmo? Nessa de procurar a melhor pedra para pisarmos, o tempo passou e nem sentimos. É esse o caminho que os vendedores de água utilizam na maré baixa. Vários passaram por nós em uma velocidade espantosa e com uma caixa de isopor pesada nos ombros.  A impressão que tivemos foi a de que já sabem em quais pedras pisar.
Esta opção leva-o diretamente à Pedra Furada, com certeza, porque é, literalmente, o final da pedrada; isto é, do caminho. Ups! O  voo é direto, sem escalas.

d) – E a mais confortável, istepô, é você chegar lá de carro. Fiz esse percurso duas vezes. É o mais prático, claro, mas… nada tenho a dizer a respeito.


EVOLUÇÃO do COMÉRCIO – Finalmente!…

Voltamos a Jericoacoara após 5 anos e levamos um susto. Susto que costumamos levar quando vemos um lugar que conhecemos evoluir em curto espaço de tempo. Jeri foi demais!

Saímos para rever as famosas Lagoas Azul e Paraíso em companhia de Elivandro, pessoa simpática e gentilíssima que trabalha com Paulo (Off-Road Jeri), e nesse passeio botamos as novidades em dia. E haja papo. O conversê só parou na volta, na porta da pousada onde nos hospedamos. 
Conversa vai, conversa vem, comentamos a respeito do crescimento da Vila. Sem que tivéssemos citado a última vez em que estivemos em Jericoacoara, Elivandro foi categórico ao dizer que a Vila cresceu desse jeito em 5 anos. Batata!

Neste curto espaço de tempo italianos ergueram hotéis de alto padrão. Um restaurante que prima pela originalidade na decoração e excelente cardápio, o Na Casa Dela, abriu uma filial na própria Jeri – foi inaugurado enquanto estávamos lá.
Aumentou o número de pousadas e, pelo que me pareceu, de mercados também.
Há mais farmácias. Uma UPA elogiada por seus serviços está na entrada da Vila. Cafés bem atraentes oferecem cardápio variado – incluem refeições rápidas além de cafés incrementados, sanduíches e um monte de etecéteras. E boutiques. Muitas boutiques, cada uma mais bonita que outra.
Uma das sorveterias vive lotada – fabricação de diversos sabores, incluindo diet, no próprio estabelecimento.
Marcas bem conhecidas de roupas e perfumaria já atracaram em Jeri.
Becos que serviam apenas para corte de caminho viraram atração por conta do farto comércio.
Em função desse crescimento, Jericoacoara tornou-se mais iluminada. Explico: a Vila não conta com iluminação pública. É a iluminação das vitrines que ilumina as ruas. E dá pro gasto. Observe as fotos.


Na Rua do Forró uma boutique não usou nenhum tipo de revestimento no piso – é pura areia de praia, devidamente tratada.
Jericoacoara era uma antiga aldeia de pescadores e foi crescendo sem calçadas ou pavimentação nas ruas. A boutique Flor Jeri não fugiu à regra e também aderiu à areia de praia para cobrir o piso. Maravilha, porque não há nenhuma preocupação “em ter que varrer a loja para tirar a areia que trazem nos pés”.


Ao lado, outra loja chama atenção pelas redes artesanais confeccionadas em puro algodão.

Mais adiante a escola de dança anuncia ritmos e horários de aula. Está colada à agência dos Correios.

Muitos becos e ruas sem movimento foram interditados à veículos pesados. Ótima decisão, levando-se em conta que as mercadorias expostas nas vitrines podem chamar a atenção dos transeuntes e levá-los a se distraírem e amargarem acidentes.

Esta doceria caprichou no artesanato da porta que faz as vezes de cortina. É sensacional! Parei para olhar e fotografar, mas… acabei viajando no trançado.
Jericoacoara está que é puro charme.

Nesse beco, floreiras  chamam atenção pela criatividade…

… e no Centrinho também. Este jacaré não parece engolir a árvore?

Há cinco anos nem se imaginava Jericoacoara com um Café charmoso como esse.


A Color Time fez uma chamada bem interessante para o Dia dos Pais.

Observe! A iluminação das ruas provém de vitrines e das próprias lojas. Em Jericoacoara não há iluminação pública. E precisa?

Esta vitrine pertence a uma loja que, a meu ver, é a mais bonita da Vila. Chama-se Conto de Fadas. Por ser muito grande e em L, conta com duas portas. Trata-se de uma boutique de bijuterias e de peças para decoração.
Ao fotografar o interior de qualquer lugar costumo pedir licença ao responsável. Uma funcionária indicou-me um jovem senhor que estava um pouco afastado de uma das entradas. Era o  proprietário. Um francês simpaticíssimo com quem batemos um papo de 20 minutos. Contou-nos como havia chegado à Jericoacoara e mais algumas curiosidades.

Problemas com celular? Faltou bateria para sua máquina fotográfica? Esqueceu o carregador? Não há com o que se preocupar porque em Jericoacoara você encontrará uma loja especializada no assunto. Atendimento simpático e muito educado. Aonde? No Beco do Forró.

Lá você só não encontrará lojas de uma especialidade… Será que você advinha qual é? Dou-lhe uma…, dou-lhe duas…, dou-lhe três. Não matou a charada? Então, lá vai: sapataria!…


1º dia na Rota – De Fortaleza a Jericoacoara
2º dia na Rota – Jericoacoara – Lagoas: do Paraíso e Azul
3º dia na Rota Andanças Por Jericoacoara.
4º dia na Rota – De Jericoacoara a Luiz Correa, PI.
5º dia na Rota – Carnaubinha Praia Resort.
6º dia na Rota Barreirinhas e Circuito Lagoa Azul.
7º dia na Rota – Santo Amaro do Maranhão
8º dia na Rota – Flutuação no Rio Formigas, em Barreirinhas
9º dia na RotaDe Barreirinhas à Jericoacoara.

A Ex Bem Cuidada POUSADA D’AREIA.
– Divino Cafeteria no Centro de Barreirinhas – É Divina!
Hotel Villa Terra Viva, em Jericoacoara.
– Hotel Villa Beija-Flor, em Jericoacoara.
– Conto de Fadas – Onde Comprar em Jericoacoara.
Onde Almoçar em Jericoacoara. Ou não.
O Charme do Comércio de Jeri.
O Quintal Mais Charmoso da Vila.


“Todas as viagens têm suas vantagens. Se o viajante visita países que estão em melhores condições, ele pode aprender como melhorar o seu. E se a sorte te levar a lugares piores, você pode aprender a aproveitar o que tem em casa “. – Samuel Johnson


BRASIL: Rota das Emoções Com PAULO OFF ROAD JERI – (1º Dia: de Fortaleza a Jericoacoara)


IMAGEM DESTACADA: A Hilux de Paulo – versão antagônica daquela que ficou famosa como “Princesinha do Agreste” em certa novela da TV -, pronta para qualquer parada. Continuar lendo BRASIL: Rota das Emoções Com PAULO OFF ROAD JERI – (1º Dia: de Fortaleza a Jericoacoara)

BRASIL, Rio de Janeiro, RJ: Aeroporto, Shopping e Hotel de Primeira, Tudo No Mesmo Lugar.


FOTO EM DESTAQUE: Morro Cara de Cão (à esquerda da foto) e Morro da Urca, com destaque para a pedra do Pão de Açúcar.

Continuar lendo BRASIL, Rio de Janeiro, RJ: Aeroporto, Shopping e Hotel de Primeira, Tudo No Mesmo Lugar.

FRANÇA, Île de France: Em Paris Ou No Rio de Janeiro, Pedalar é Com Fernanda Hinke.


A jovem não para.  Em Paris ou no Rio, Fernanda Hinke gosta de sentir o vento acariciando seu rosto e desalinhando seu cabelo louro enquanto pedala. Continuar lendo FRANÇA, Île de France: Em Paris Ou No Rio de Janeiro, Pedalar é Com Fernanda Hinke.

BRASIL, Rio de Janeiro – Antônia Casa e Café, em Copacabana


O Antônia fica logo alí. Quem mora em Copacabana, normalmente, não se preocupa com distâncias; andar a pé é hábito arraigado, exercício que passa de pai para filho muito antes de o bairro se tornar a “Princesinha do Mar”.

Continuar lendo BRASIL, Rio de Janeiro – Antônia Casa e Café, em Copacabana

BRASIL: FLORIANÓPOLIS, SC – Chopp Também Viaja, Istepô! SARAGAÇO KOMBI CHOPP.


IMAGEM em DESTAQUE:  o Chopp – Truck do Daniel.

Segue no mapa o endereço de onde a coruja dorme:

Môquiridu, o título não se trata de um blefe. Nada disso. A turma é festeira e leva o compromisso com a diversão muito a sério.
É mariscada de um lado, é a ostralhada¹ de outro, é festa junina com a moçada vestida a caráter – bom esclarecer que dançam quadrilha (improvisada) e tudo!… -, é Natal, Ano Novo, aniversários… A turma é animadíssima e não deixa escapar na-da. Não param prá respirar, estão sempre comemorando alguma coisa. Comemoram até aquele “Ói, ói, ó!” (dicionário manezês no alto da página) pronunciado em falsete, em alto e bom som.

foto-de-daniel
Daniel Costa apresenta a SARAGAÇO CHOPP e uma amostra de chopp geladin, geladin.

*****

A animação da turma foi o ponto de partida para Daniel pensar em colaborar com outras festanças – saragaço, conforme os ilhéus chamam esses encontros festivos.
Daí, pensaram: por que não botar o chopp prá viajar e ir a seu encontro? Num minuTinho (pronúncia linguodental da letra T, como convém, certo ?) lançaram a SARAGAÇO CHOPP. 

16143852_10211038085422075_4013922803059193632_o-704x674

Imagine a seguinte cena: você está na praia…, com esse Verão-maçarico batendo forte na moleira…, morrrrreeennndo de sede… e aí você vislumbra a SARAGAÇO CHOPP, linda de morrer, paradinha na beira da praia…, recheada de chopp gelado e fazendo um sonoro Psiu! prá você. Vai pensar que é miragem, né istepô? Então, acabe logo com essa sofrência, vá lá e confira.

16179269_10211038086222095_7724746117036093098_o-1024x668

MAS… O QUE É SARAGAÇO?

A explicação para “saragaço” que você poderá encontrar nos dicionários, nada tem a ver com a proposta de Daniel – muito pelo contrário.
Para os manézinhos da ilha, saragaço é justamente o antônimo do real significado da palavra. É sinônimo de festança, de alegria, de felicidade. É comemorar a vida e a satisfação de estarem juntos a familiares e amigos queridos.

COMO ENCONTRAR A MINA?

Daniel sempre esteve envolvido com público e com turismo. Portanto, natural que esteja à frente da COSTA EVENTOS e PRODUÇÕES, e agora com a SARAGAÇO CHOPP.
Você poderá contatá-lo pelos telefones: Whatsapp (48) 984213761 e 999248160.
A kombi circula na Grande Florianópolis e, dependendo do pedido, cobra frete. Serve até quatro tipos de chopp.

15844196_10210796063891688_8917699515338322252_o-1024x556

Seja rápido, moquiridu, pra não mofar com as pombas na balaia!

1- OSTRALHADA – Festança de dezenas de dúzias de ostras promovida pelo Daniel em sua página . Quer saber mais? Clique aqui, ó.

*****

vai-viajar-istepo-maior-copia

*****

 

PATAGÔNIA ARGENTINA – Centro de USHUAIA, fotografado por Ângela Loreto.


FOTO EM DESTAQUE: Vista do Quarto do Tolkeyen Hotel.

Eu e Ângela trabalhamos juntas e tivemos excelente relação de amizade. Tomei rumo diferente na empresa, e só fui reencontrá-la muitos anos após essa mudança. Nossa reaproximação aconteceu em um almoço de confraternização dos antigos funcionários daquela agência onde havíamos trabalhado.
Conversa vai, conversa vem, acabamos descobrindo algo em comum: nossa paixão por viagens. Daí, istepô, agora, mesmo cada uma em seu canto, não deixamos mais de nos comunicar e aqui estou para passar suas experiências em Ushuaia. Visitamos cidades e atrações em comum, mas cada uma trilhou um trajeto diferente. E foi desse conversê que surgiu a idéia de postar suas andanças.
Pensando bem, voltamos a trabalhar juntas e estou achando ótimo! Só que agora, as tarefas são bem mais aprazíveis.

040-1024x558

Angela hospedou-se no Hotel Tolkeyen, e a respeito dessa experiência ela me escreveu o seguinte: “O quarto em que fiquei foi muito bom. Espaçoso, claro, com um janelão para o Canal de Beagle e, acredito, pela disposição do hotel, que a maioria dos quartos seja com vista para o Canal. Todas aquelas flores que vc vê circundando o hotel, fazem parte do visual de dentro do quarto, emoldurando a vista que temos do Canal.”
Roupas limpas, cama e travesseiros ok, também.
Banheiro limpo, com água quente. Sem problemas.
O hotel oferece passeios, mas não utilizei, pois tínhamos ido por pacote e os passeios já estavam contratados.” Atendimento bom.

Ãngela não se recorda do tipo de café da manhã servido, mas lembra-se de constar do serviço: café, pão, frios, queijos, bolos… e ressalta que em um hotel do padrão do Tolkeyen não serviriam um café da manhã trivial. Vez ou outra, uma revoada de flamingos complementava o cenário cinematográfico do Canal de Beagle na hora do desjejum! – presente que só a natureza pode nos proporcionar.

DESLOCAMENTO: por ficar 4 km distante do Centro de Ushuaia, o hotel oferece condução de ida e volta de hora em hora.

055-1024x575
Centro de Ushuaia. À esquerda a Iglesia Parroquial (Av. Maipu, 939). À direita, a torre da Iglesia de la Merced (Avenida Gal San Martin 936).

*****

057-1024x627
Centro de Ushuaia onde acontece uma feirinha.

*****

058-1024x575
Centro de Ushuaia.

*****

043-1024x685
Galeria Temática (3×1): presentes, jardim temático e museu interativo.

*****

46-708x1024
Ângela Loreto muito bem acompanhada por dois poderosos pinguins Imperador.

A propósito: essa espécie de  pinguim pode pesar até 37 quilos e atingir mais de 1,20 m de altura. Os machos suportam passar o Inverno na Antártida e chocam os ovos quando as fêmeas o abandonam para passar o Inverno no mar. Vivem da pesca de pequenos peixes, lulas e uma espécie de camarão. Mergulham até 250 m de profundidade!

047-941x1024

La Ultima Bita – loja de artesanatos e presentes. Nos fundos, um jardim temático (foto). No segundo piso há o museu interativo (ingressos pagos).

*****

048-681x1024
Loja de souvenir LA ÚLTIMA BITA. Este  jardim temático fica nos fundos da Galeria Temática.

*****

049-1024x597
La Ultima Bita – loja de presentes e jardim temático. No segundo andar, um museu interativo. Obs: ingresso cobrado apenas para o museu.

*****

072
TREM do FIM do MUNDO.

Passeios no Trem do Fim do Mundo:  para consultas de horários, como chegar à estação, e compras de bilhetes, clique aqui.
Ângela não participou do passeio.

img186-2

*****

PERU, Lima – Mercado de Surquillo. Para Quem Gosta do Babado.


IMAGEM DESTACADA: Mercado de Surquillo.

[googlemaps https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m18!1m12!1m3!1d3900.912846584928!2d-77.0277857854933!3d-12.118115491419807!2m3!1f0!2f0!3f0!3m2!1i1024!2i768!4f13.1!3m3!1m2!1s0x9105c8108fe21b49%3A0x5f8596f1512bda81!2sMercado+de+Surquillo!5e0!3m2!1spt-BR!2sbr!4v1472173038386&w=600&h=450

Localização: Paseo de la República, esquina de Ricardo Palma. Surquillo.
Horário de funcionamento: Diariamente de 6 a.m. a 4 p.m. ,

Esse mercado ganhou notoriedade após tornar-se público de que os grandes chefs o frequentam. Não é para menos. O Mercado do bairro Surquillo tem de tudo e mais alguma coisa de que você nem desconfia.
Por fora nada a ver com “bela viola”, mas por dentro surpreende apesar de seu jeitão assim… meio descabelado. Continuar lendo PERU, Lima – Mercado de Surquillo. Para Quem Gosta do Babado.