Arquivo da categoria: COMPRAS

Endereços e sugestões de compras.

ARGENTINA, AR – Galerias Pacífico, em Buenos Aires: Patrimônio Histórico Argentino.


FOTO EM DESTAQUE: Interior da Galarias Pacífico.

Foi declarada Monumento Histórico Nacional e nem poderia ser diferente.
Externamente, o prédio, em si, já é uma obra de arte. Seu interior deslumbra. Sua beleza é impactante; não há quem não o aprecie. A meu ver, é passagem obrigatória para quem vai a Buenos Aires, nem que seja apenas para tomar um café.

COMPRAS e ALIMENTAÇÃO
Em 2011/12 o shopping ainda não havia ampliado o setor que conhecemos como praça de alimentação.

Em 2016 assustei-me com o movimento que encontrei no sub-solo: vários Cafés, lanchonetes e restaurantes do tipo fast-food tomaram conta da área. E não parou por aí: lojas de preço mais acessíveis também se instalaram neste piso. A Morph foi uma delas. Adoro a Morph. Todas as mercadorias chamam atenção pela criatividade e os preços são bem convidativos. É lá que compro lembranças para os amigos e, de quebra, acabo me presenteando com alguma coisa. Acho que mereço.
Voltando à vaca fria: até nos depararmos com esses acréscimos, nossa preferência para almoçar, lanchar ou tomar um simples cafezinho recaía sobre o Francesca. Esse espaço foi totalmente remodelado e nem reparei se ainda conserva o nome. Está bem mais confortável, pareceu-me mais amplo, não sei, e o atendimento continua cortês.

O elegante e antigo Francesca, no sub-solo das Galerias Pacífico.

A agência de câmbio foi remodelada e também continua no mesmo lugar. O câmbio pode não ser o melhor do pedaço, mas quebra um galhão pela comodidade.

O CENTRO CULTURAL BORGES
Nem todo mundo sabe, mas há um Centro Cultural dentro das Galerias, desde outubro de 1995.
Nada mais natural para um edifício inspirado e concebido no estilo arquitetônico Beaux-Arts, para abrigar uma loja que se assemelhasse à Bon Marché parisiense.
Esse foi apenas o começo. Em 1896 o Museu de Belas Artes ocupou parte do edifício…
Centro cultural e Galerias contam histórias desde 1889. Saiba mais a respeito do clicando aqui.
ACESSO: o prédio das Galerias Pacífico ocupa um quarteirão compreendido pelas ruas: Florida, Córdoba, Viamonte e San Martin. A entrada do centro cultural está nesta última esquina.
Ainda não o conheço, mas tenho lido excelentes referências. Há acomodações na platéia e no mezzanino.
No site do CCB você encontra informações a respeito de preços e horários. Clique aqui.

MAS, A SURPRESA MAIOR …
ficou por conta de uma publicação na internet que me deixou de cabelo em pé!
“Em 2007 a jornalista canadense Naomi Klein escreveu um livro intitulado The Shock Doctrine.
Neste livro ela descreve como o edifício foi usado como um centro de tortura pela junta militar que governou a Argentina de 1976 a 1983.”
… “descobriu-se que em seus porões o Primeiro Exército escondeu alguns de seus desaparecidos.”
“… as paredes das masmorras ainda traziam as marcações desesperadas feitas por seus prisioneiros há muito tempo mortos: nomes, datas, pedidos de socorro.”

E como dizia o jornalista Paulo Alceu: “Enquanto isso…, a vida segue.”

*****

 

 

ARGENTINA, Buenos Aires: A Casa do Doce de Leite.


FOTO DESTACADA: Fachada de Uma Das Lojas de San Telmo.

Endereços: Há dois endereços na Calle Defensa: uma no número 733, que está no mapa, e outra em frente à Praça Dorrego, no número 1060.
Horário de Funcionamento: De Segunda a Domingo, de 10.00 h às 20.00 h.


Nosso objetivo neste dia era a visita à Zanjón de Granada, alvo de uma próxima postagem, e fotografar a não menos conhecida Casa Mínima, bem pertinho.

Casa Mínima.

CALLE DEFENSA
Aconteceu que chegamos bem antes do horário marcado para a visita, e decidimos tomar um café e rever essa rua notável de Buenos Aires, igualmente foco de postagem futura.
Nessa de andar prá lá e prá cá, um toldo vermelho acabou nos chamando atenção. Quando lemos o nome da casa, atravessamos a rua e fomos bisbilhotar. Niki olhamos prá dentro da loja, cheguei a sentir o gosto dos doces-de-leite.

A DECORAÇÃO
chama atenção pelos móveis antigos que servem de apoio para os diversos tipos de mercadoria: doce-de-leite de diversas marcas e tipos, licores, alfajores, geléias, vinhos, temperos, chocolates, ervas-mate, cuias, açúcares, enfim, só me dei conta de que a charmosa loja trata-se de um pequeno e especializado mercado, ao recrutar as fotos para postar.
As embalagens são tão requintadas quanto algumas peças que compõem a decoração. Requinte descontraído por uma vaquinha que faz plantão na porta e por uma imensa bandeira da Argentina.

Com calma fui apreciando móveis, espelhos e produtos que o recepcionista brasileiro Raphael apresenta com muita simpatia, cordialidade e técnica. Ele se aproxima de mansinho…, assim como quem não quer nada…, cumprimenta educadamente…, pergunta se você já conhece a loja… e daí, môquirido, quando você se dá conta, já tá envolvido com tudo. Senti-me Alice no País das Maravilhas.

No armário antigo pintado de branco da foto abaixo, bules de metal e porcelana, garrafas decorativas de vidro, potes, porta-retratos e miniaturas da Mafalda também estão à venda. Por estarem protegidos na vitrine, em um primeiro momento pensei que fizessem parte de “Móveis e Utensílios”, mas me enganei.

 

 

 

 

 

 

Para cada marca há uma degustação.

Não há escapatória: a loja aceita dólares e reais, e o câmbio não era mau. Portanto, fica o aviso óbvio: você terá que ter uma personalidade muito forte para sair de lá sem comprar alguma coisa.

Granola e doce de leite sem açúcar também fazem parte das tentações.
Nesta loja compramos várias caixas de alfajores de chocolate para presentear os amigos – preciosidades da culinária portenha que não pesam na mala.

Neste armário branco estão: açúcar orgânico, açúcar integral mascavo, mel e geléias.

Erva mate de diversas procedências (com ou sem mirtilo), cuias de tamanhos variados, garrafas térmicas e outros produtos gauchescos estavam separados nessa estante.

Nesta cristaleira sabores diversos de geléias sem açúcar pareciam acenar para nós. Aqui não tive dúvida: trouxemos alguns vidros. Ficamos com um e oferecemos os demais como presente.

A vaquinha símbolo-marca é plantonista na porta da loja, e figura nas bolsas de compras.

Ah! Quase ia me esquecendo: caixinhas de chás e chocolates você também poderá adquirir na La Casa del Dulce de Leche. Bate um bolão.

*****

PORTUGAL, Lisboa: A Vida Portuguesa – Onde Comprar…, Comprar…, Com…


O nome da belíssima casa onde antigamente funcionou um armazém e a fábrica de perfumes David & David,  é mais um dentre centenas de nomes originais que encontramos no comércio lusitano, tais como as lojas “ao virar da esquina” e  “Pequenos Nadas“, a
Companhia de Seguros Tranquilidade“, fundada em 1871, ou ainda o célebre Licor de Merda – para mim, o campeão! Continuar lendo PORTUGAL, Lisboa: A Vida Portuguesa – Onde Comprar…, Comprar…, Com…

FRANÇA: Paris, Île de France – Le Cochon à L’oreille (Bistrô) e L’Escargot Montorgueil.


Paris é indefinível. Paris é para você se deixar levar pelo o que seus olhos curiosos pedem, é sair desfrutando de Continuar lendo FRANÇA: Paris, Île de France – Le Cochon à L’oreille (Bistrô) e L’Escargot Montorgueil.

BRASIL, Rio de Janeiro, RJ: Restaurante Mauá e MAR – Museu de Arte do Rio


IMAGEM DESTACADAParcial da Praça Mauá, vista do Restaurante Mauá.

Começamos pelo terraço do museu, no 6° andar. É lá que está o restaurante super concorrido. Não havia Continuar lendo BRASIL, Rio de Janeiro, RJ: Restaurante Mauá e MAR – Museu de Arte do Rio

BRASIL, Rio de Janeiro, RJ: Aeroporto, Shopping e Hotel de Primeira, Tudo No Mesmo Lugar.


FOTO EM DESTAQUE: Morro Cara de Cão (à esquerda da foto) e Morro da Urca, com destaque para a pedra do Pão de Açúcar.

Continuar lendo BRASIL, Rio de Janeiro, RJ: Aeroporto, Shopping e Hotel de Primeira, Tudo No Mesmo Lugar.

BRASIL, Barra Velha, SC – Parada Ferretti: o Posto Temático mais Bonito do Brasil.


Impossível não deixar escapar pelo menos um “Nossa!!!” ao adentrar o Café daquele que foi considerado, em 2009, o POSTO TEMÁTICO MAIS BONITO DO BRASIL! E não é para menos…

O assunto me encanta de tal maneira que não há como deixar nada de lado. Nem pensar em cortar qualquer detalhe em se tratando da Parada Ferretti – onde batemos ponto sempre que voltamos de Florianópolis para o Rio.

A localidade é Barra Velha (entre Itajaí e Joinville), no km 91,5 da BR 101. Impossível passar batido e não ver aquele monumento imenso, fantástico, totalmente estruturado em eucalipto, plantado na beira da estrada.

Imagine-se chegando para tomar um simples cafezinho e se deparar com um tronco de eucalipto imenso, de 20,5 toneladas!, pendurado no teto do salão principal. Demora até você se habituar com a imagem, porque, com absoluta certeza, nunca viu nada igual. Ah! E não se esqueça de fechar a boca.

É A MAIOR ÁRVORE SUSPENSA DAS AMÉRICAS!

Trata-se de um eucalipto da espécie Saligna. De seus 32 metros de altura foram pendurados 21 metros, incluindo um broto que você vê à esquerda, na foto, fundido na árvore maior. Este eucalipto foi encontrado nas proximidades da Parada Ferretti, exatamente a 1 km de distância, na Estrada dos Amaros.
O idealizador da obra provocadora de admiração e muitas exclamações é o empresário Oilton José Ferretti, que aprendeu com seu pai, desde pequeno, a valorizar a natureza; a olhar material descartado com olhos mais aguçados…, mais astuciosos.
Vale à pena conhecer a história do Sr. Oilton e seu encantamento por galhos e restos de árvores sem, aparentemente, nenhum valor comercial.
Foi graças a seu aprendizado e a seu modo  de perceber que frutos colher desse material deixado ao relento, que em 1996 o Sr. Oilton começou a garimpar as madeiras que encontrava em suas cavalgadas pelas cercanias da Parada Ferretti.
Foi graças a muito empenho, que essa obra majestosa, criada na imaginação do empresário, foi criando forma ao longo dos anos e recebe, atualmente, perto de 40 mil visitantes por mês (não deixem de conhecer um pouco de sua história clicando aqui).
Todo o processo de transporte do eucalipto pode ser acompanhando em fotos dispostas em um painel à esquerda de quem adentra o Café, bem como a construção inicial de uma das atrações turísticas mais fascinantes que vi até hoje em minha vida.

Observe que, pela estrutura mostrada nas fotos, a construção do shopping começou pelo cume! e penso que não poderia ser de outra forma. Dê uma olhada na direita do painel:

Engenho e arte para construir a Parada Ferretti.

Já deixei muita xícara esfriar embaixo dessas raízes, nas vezes em que fiz questão de sentar-me em uma das mesas colocadas embaixo desse colosso para tomar meu café. A sensação é a de que estou sendo fortemente abençoada por essas raízes aparentemente mortas. Emociono-me só em pensar.

Cada vez que paramos na Ferretti encontramos novidades, sempre para melhor. Como fazia bom tempo que não íamos a Florianopolis de carro, ao chegarmos ao Café nos surpreendemos com a variedade de doces e salgados que podem perfeitamente acompanhar seu lanche, sem contar com o buffet variado e farto com muito mais opções que a vitrine de doces e salgados. Buffet para lanches! O do almoço nunca pegamos porque sempre passamos relativamente cedo na Parada.

O restaurante também foi modificado –  pareceu-me ter-se expandido –  e um minimercado foi estrategicamente montado na saída do Café. Lá você encontra guloseimas, biscoitos, mel, café, mate para chimarrão, vinhos, barras de chocolate, balas, bombons e muito mais. Portanto, se quiser mastigar algum biscoitinho durante a viagem ou presentear alguém com algum produto da terra, certamente o encontrará nas prateleiras.

Estacionamento não falta no shopping e isto significa que você poderá desfrutar não só do Café onde reina absoluto o eucalipto, mas também das lojas de roupas originais (Outlet), de couro (Búffalo Couro), cristais (Cisne), chocolates, cosméticos, presentes, artesanatos e um  antiquário espetacular que o fará voltar no tempo e, quem sabe, provocar aquela saudade de algum fato ligado a um objeto empoeirado que você encontre perdido por lá.

E antes que me esqueça, um posto de gasolina sustentado por poderosíssimas toras da mesma espécie de eucalipto também faz parte do shopping . É lin-do!

O Antiquário é uma loucura. E para quem gosta do babado como eu, vai ter vontade de carregar tudo prá casa. Pelas imagens você vê que há uma variedade incrivelmente grande de objetos. Observe o detalhe do para-lama dessa lambreta. 

Imagino logo uma cozinha de decoração colonial com uma caixa de garrafas dessas (com as garrafas, claro) em cima de um guarda-comidas. Ou uma balança antiga, daquelas que encontrávamos nos armazéns de antigamente. Panelas, talheres, sofás, louça, rádios, televisores, toca-discos…

Babei com este móvel art-déco e logo o imaginei restaurado em minha sala.  Lindo!

Sonho de consumo que cheguei a realizar: máquina de escrever elétrica da IBM, claro! Fazia uma barulhada danada, mas era um acessório que não poderia faltar nos escritórios mais modernos. Um luxo!

O mirante construído também com a mesma espécie de madeira, todas devidamente certificadas.

A propósito, você sabe qual a diferença entre “madeira legalizada” e “madeira certificada”? A diferença está explicadinha no site que você acessa clicando aqui.

Mas, para você não ter trabalho, segue um dos parágrafos esclarecedores do assunto: “O termo ‘legalizada’ significa que a extração é autorizada por órgãos ambientais e, assim, o produto possui o Documento de Origem Florestal (DOF). Isso não determina, porém, que a retirada da madeira não afeta o ecossistema. Essa segurança só é dada pela certificação, que garante o menor impacto socioambiental possível no processo de extração.”

No estacionamento está este tronco em exposição com as seguintes especificações:

No banheiro feminino, uma pia com 3 cubas foi esculpida em uma peça única de eucalipto, bem como um banco modelo namoradeira que não aparece na foto. Na Parada Ferretti você encontra arte onde quer que vá.

ROSA CRISTAL comenta.

BRASIL, Rio de Janeiro – Antônia Casa e Café, em Copacabana


O Antônia fica logo alí. Quem mora em Copacabana, normalmente, não se preocupa com distâncias; andar a pé é hábito arraigado, exercício que passa de pai para filho muito antes de o bairro se tornar a “Princesinha do Mar”.

Continuar lendo BRASIL, Rio de Janeiro – Antônia Casa e Café, em Copacabana