Arquivo da categoria: MALAS PRONTAS

CUMPRINDO O ROTEIRO.

BRASIL, Barra Velha, SC – Parada Ferretti: o Posto Temático mais Bonito do Brasil.


Impossível não deixar escapar pelo menos um “Nossa!!!” ao adentrar o Café daquele que foi considerado, em 2009, o POSTO TEMÁTICO MAIS BONITO DO BRASIL! E não é para menos…

O assunto me encanta de tal maneira que não há como deixar nada de lado. Nem pensar em cortar qualquer detalhe em se tratando da Parada Ferretti – onde batemos ponto sempre que voltamos de Florianópolis para o Rio.

A localidade é Barra Velha (entre Itajaí e Joinville), no km 91,5 da BR 101. Impossível passar batido e não ver aquele monumento imenso, fantástico, totalmente estruturado em eucalipto, plantado na beira da estrada.

Imagine-se chegando para tomar um simples cafezinho e se deparar com um tronco de eucalipto imenso, de 20,5 toneladas!, pendurado no teto do salão principal. Demora até você se habituar com a imagem, porque, com absoluta certeza, nunca viu nada igual. Ah! E não se esqueça de fechar a boca.

É A MAIOR ÁRVORE SUSPENSA DAS AMÉRICAS!

Trata-se de um eucalipto da espécie Saligna. De seus 32 metros de altura foram pendurados 21 metros, incluindo um broto que você vê à esquerda, na foto, fundido na árvore maior. Este eucalipto foi encontrado nas proximidades da Parada Ferretti, exatamente a 1 km de distância, na Estrada dos Amaros.
O idealizador da obra provocadora de admiração e muitas exclamações é o empresário Oilton José Ferretti, que aprendeu com seu pai, desde pequeno, a valorizar a natureza; a olhar material descartado com olhos mais aguçados…, mais astuciosos.
Vale à pena conhecer a história do Sr. Oilton e seu encantamento por galhos e restos de árvores sem, aparentemente, nenhum valor comercial.
Foi graças a seu aprendizado e a seu modo  de perceber que frutos colher desse material deixado ao relento, que em 1996 o Sr. Oilton começou a garimpar as madeiras que encontrava em suas cavalgadas pelas cercanias da Parada Ferretti.
Foi graças a muito empenho, que essa obra majestosa, criada na imaginação do empresário, foi criando forma ao longo dos anos e recebe, atualmente, perto de 40 mil visitantes por mês (não deixem de conhecer um pouco de sua história clicando aqui).
Todo o processo de transporte do eucalipto pode ser acompanhando em fotos dispostas em um painel à esquerda de quem adentra o Café, bem como a construção inicial de uma das atrações turísticas mais fascinantes que vi até hoje em minha vida.

Observe que, pela estrutura mostrada nas fotos, a construção do shopping começou pelo cume! e penso que não poderia ser de outra forma. Dê uma olhada na direita do painel:

Engenho e arte para construir a Parada Ferretti.

Já deixei muita xícara esfriar embaixo dessas raízes, nas vezes em que fiz questão de sentar-me em uma das mesas colocadas embaixo desse colosso para tomar meu café. A sensação é a de que estou sendo fortemente abençoada por essas raízes aparentemente mortas. Emociono-me só em pensar.

Cada vez que paramos na Ferretti encontramos novidades, sempre para melhor. Como fazia bom tempo que não íamos a Florianopolis de carro, ao chegarmos ao Café nos surpreendemos com a variedade de doces e salgados que podem perfeitamente acompanhar seu lanche, sem contar com o buffet variado e farto com muito mais opções que a vitrine de doces e salgados. Buffet para lanches! O do almoço nunca pegamos porque sempre passamos relativamente cedo na Parada.

O restaurante também foi modificado –  pareceu-me ter-se expandido –  e um minimercado foi estrategicamente montado na saída do Café. Lá você encontra guloseimas, biscoitos, mel, café, mate para chimarrão, vinhos, barras de chocolate, balas, bombons e muito mais. Portanto, se quiser mastigar algum biscoitinho durante a viagem ou presentear alguém com algum produto da terra, certamente o encontrará nas prateleiras.

Estacionamento não falta no shopping e isto significa que você poderá desfrutar não só do Café onde reina absoluto o eucalipto, mas também das lojas de roupas originais (Outlet), de couro (Búffalo Couro), cristais (Cisne), chocolates, cosméticos, presentes, artesanatos e um  antiquário espetacular que o fará voltar no tempo e, quem sabe, provocar aquela saudade de algum fato ligado a um objeto empoeirado que você encontre perdido por lá.

E antes que me esqueça, um posto de gasolina sustentado por poderosíssimas toras da mesma espécie de eucalipto também faz parte do shopping . É lin-do!

O Antiquário é uma loucura. E para quem gosta do babado como eu, vai ter vontade de carregar tudo prá casa. Pelas imagens você vê que há uma variedade incrivelmente grande de objetos. Observe o detalhe do para-lama dessa lambreta. 

Imagino logo uma cozinha de decoração colonial com uma caixa de garrafas dessas (com as garrafas, claro) em cima de um guarda-comidas. Ou uma balança antiga, daquelas que encontrávamos nos armazéns de antigamente. Panelas, talheres, sofás, louça, rádios, televisores, toca-discos…

Babei com este móvel art-déco e logo o imaginei restaurado em minha sala.  Lindo!

Sonho de consumo que cheguei a realizar: máquina de escrever elétrica da IBM, claro! Fazia uma barulhada danada, mas era um acessório que não poderia faltar nos escritórios mais modernos. Um luxo!

O mirante construído também com a mesma espécie de madeira, todas devidamente certificadas.

A propósito, você sabe qual a diferença entre “madeira legalizada” e “madeira certificada”? A diferença está explicadinha no site que você acessa clicando aqui.

Mas, para você não ter trabalho, segue um dos parágrafos esclarecedores do assunto: “O termo ‘legalizada’ significa que a extração é autorizada por órgãos ambientais e, assim, o produto possui o Documento de Origem Florestal (DOF). Isso não determina, porém, que a retirada da madeira não afeta o ecossistema. Essa segurança só é dada pela certificação, que garante o menor impacto socioambiental possível no processo de extração.”

No estacionamento está este tronco em exposição com as seguintes especificações:

No banheiro feminino, uma pia com 3 cubas foi esculpida em uma peça única de eucalipto, bem como um banco modelo namoradeira que não aparece na foto. Na Parada Ferretti você encontra arte onde quer que vá.

ROSA CRISTAL comenta.

BRASIL, Florianópolis, SC – Lagoa da Conceição.


Em Florianópolis, todos os caminhos levam à Lagoa da Conceição? Se sua resposta é “não sei”, acompanhe.

COMO CHEGAR:

Partindo do CENTRO: seguir pela Avenida Beira-Mar Norte até encontrar, antes do viaduto do SIC, placas indicativas para o norte da ilha + Lagoa, Praia Mole e Joaquina.  Mantenha-se à direita e suba o viaduto. Ao descê-lo você estará na Avenida da Saudade. Continue à direita porque no final desta avenida, que não é extensa, você terá que dobrar novamente à direita e “seguireto” toda vida. É só isso, agora, o trânsito fluir dependerá da temporada e do horário em que você botar o carro na estrada.

PARTINDO no NORTE DA ILHA:

Do norte da ilha à Lagoa da Conceição você terá algumas opções.

Aviso: na temporada a ilha fica superlotada; o trânsito é insuportável e acaba atrapalhando a vida de todos, principalmente do ilhéu. Turista está na chuva prá se molhar e não tá nem aí; agora, o pobre do morador é que acaba amargando as consequências da alta temporada. Portanto, saia de casa cedo para aproveitar o Sol que não dá o ar da graça todos os dias – ainda tem essa… Quem mora na ilha sabe e costuma dizer que em Florianópolis pode, perfeitamente, baixar as quatro estações do ano em um dia só.

Mas vamos ao que interessa: tomemos como base a praia de Canasvieiras, uma das mais movimentadas na temporada – a favorita dos argentinos, todo mundo já sabe.

Este trajeto que sugiro, evitará que você fique preso em um possível congestionamento na Avenida da Saudade – que você terá que trafegar inteira! até encontrar o retorno (seguir pela pista do meio) e voltar tudo novamente para entrar à direita. Na alta temporada você corre o risco de nem chegar à Lagoa, istepô! Pode acreditar. Vai entardecer preso no engarrafamento caso não goste de acordar cedo.

Meu irmão, ilhéu de carteirinha, acha essa opção válida; eu acho que você pode escapar por outros caminhos. A escolha, moquiridu, é você quem faz.

ATENÇÃO! Este retorno não é visível e a chance de você passar direto e cair na Avenida Beira Mar é grande.  Vai complicar!… Depois não diga que não foi avisado!… Siga pela pista do meio porque o retorno passa por baixo do viaduto e você não o vê “tipo assim…” de longe, sacou? Só percebe a curva do retorno quando já está quase em cima do lance. 

1ª OPÇÃO – S’imbooora! Você sai de Canasvieiras (ou do Costão ou dos Ingleses, digamos) e segue direto pela SC 401. Após trafegar mais de 17 km você irá encontrar à direita, antes de um viaduto, a entrada para o Cemitério Jardim da Paz e o primeiro acesso para o bairro João Paulo. Não suba o viaduto! Dobre à direita em frente ao cemitério e siga em direção ao bairro. Trafegue pela Rodovia João Paulo até encontrar outro viaduto que nada mais é do que o prolongamento desta rodovia.
Do cemitério até a subida deste viaduto você trafegará por aproximadamente 3 km.
Suba-o e continue em frente. Ao descê-lo você estará na rua Coronel Luiz Caldeira). Continue trafegando até seu final e dobre à esquerda; trafegue pela rua Pastor William Richard Schirler Filho. No final você estará prestes a entrar na Rodovia Admar Gonzaga. Vire à esquerda e siga até à Lagoa da Conceição.

NOTA: Caso você perca essa primeira entrada para o bairro João Paulo – Cemitério Jardim da Paz , não se aflija porque mais na frente, antes do viaduto que mencionei acima – o tal prolongamento da Rodovia João Paulo –, há outra entrada. Vire à direita e logo a seguir à esquerda para subi-lo. Ao descer… (vide acima).

2ª OPÇÃO: COMO CHEGAR SAINDO do COSTÃO do SANTINHO, INGLESES, CACHOEIRA do BOM JESUS ou CANASVIEIRAS .

É o caminho mais longe para quem sai desses bairros, porém o menos congestionado na alta temporada. Para quem parte do Costão, Ingleses ou Cachoeira do Bom  Jesus é o mais prático.

Saia de “Canas”pela SC 401 até encontrar placas indicando que você deverá entrar à direita, subir o viaduto e seguir em direção a INGLESES e SANTINHO (SC 403 – Rodovia Armando Calil Bulos). Para o Centro basta seguir em frente.

Passou o ÁQUA SHOW, um parque aquático à sua direita no alto do morro, desceu…, vire na primeira rua à direita – Servidão Três Marias – e siga a placa que indica MOÇAMBIQUE, BARRA DA LAGOA e JOAQUINA. Dobre  na primeira à esquerda – rua Intendente João Nunes. Na 1ª à direita você cairá na SC 406 (Rodovia João Gualberto Soares). Continue em frente seguindo as placas até chegar à Lagoa. Moleza.

Você passará pela extensa praia de Moçambique e chegará à Barra da Lagoa. Continue seguindo as placas e você encontrará uma encruzilhada com uma indicação de que para a esquerda você irá para a JOAQUINA e, para a direita, chegará à LAGOA DA CONCEIÇÃO. Achôôô!!!!


Lagoa da Conceição vista do mirante.

Lagoa em primeiro plano e Praia da Joaquina em segundo.

Comércio no mirante da lagoa.

No Centrinho da Lagoa da Conceição o comércio é variado e abundante. Não faltam restaurantes, boutiques, lojas de lembranças, artesanatos.

Nesta barraca você poderá adquirir até passagens aéreas internacionais.

Na ponte que você vê à distância começa a Avenida das Rendeiras. Seguindo à esquerda você poderá optar por Joaquina, Praia Mole e Barra da Lagoa.

Colado à ponte da Av. das Rendeiras fica o TERMINAL LACUSTRE Profª Ruth Bastos de Oliveira onde você compra passagens para a Costa da Lagoa, outro passeio muito interessante.  Ao longo da costa são 23 trapiches e em quase todos há restaurantes, praia e muito divertimento para a criançada: caiaques e pranchas estão, normalmente, à disposição dos clientes.

As embarcações são grandes e permitem ocupação de muitos passageiros. Em horários de pico o transporte de grandes volumes não é permitido. O aviso está bem visível no terminal, ao lado da tabela de horários dos barcos.

Na Praça Pio XII, sempre que o tempo permite, rola um joguinho de tabuleiro entre os amigos nas mesas preparadas para esse tipo de passa-tempo.

Aos domingos acontece uma feira de artesanatos nesta praça com mais de 100 expositores. Os horários variam e são os seguintes:
Das 17h às 23h  no horário de verão. Em horário normal a feira fica das 15h às 20h. Informações: (48) 3232-1514.

Encontra-se todo tipo de mercadoria na feira: artesanatos com tecidos, madeira, couro, papel, fios (crochê, tricot, macramé).

O destaque desta vez ficou por conta do fabricante de pranchas e remos que vemos na foto. Seu trabalho é de fino acabamento e de muito bom gosto.

Teria imensa satisfação em citá-lo aqui no blog mas, infelizmente, não encontrei o cartão de apresentação que me ofereceu. Mas, como acredito que seu ponto de exposição deva ser sempre o mesmo, fica a dica para quem gosta de adquirir pranchas e remos que reúnam beleza à qualidade.

De quebra você verá a Casa das Máquinas, datada de 1912, que abrigava a maquinaria da antiga Estação Rádio Telegráfica  dos Correios e Telégrafos, tombada pelo Patrimônio Histórico em 06 de setembro de 1985 e transformada em centro de artes em 02 de agosto de 2009.

Caso você tenha alguma informação interessante a respeito da Lagoa da Conceição, fique à vontade e escreva – a casa é sua. Desde já só tenho a lhe agradecer.

ROSA CRISTAL comenta

BRASIL, Rio de Janeiro – Bio Carioca, Gastronomia Natural.


Fazia tempo que me prometia ir ao restaurante, mas sempre adiava. Semana passada a oportunidade veio a nosso encontro e fomos até lá. Gostei.

Telefone: 21- 2523-4820 – Capacidade: 60 lugares.
Horário de Funcionamento: Domingo e segunda-feira, das 11h30h às 18h. De 3ª a sábado, das 11h30 às 23h.
Cartão de débito e crédito: todos.
Tickets visa-vale e Sodexo.

O ambiente é aconchegante e todos que nos atenderam foram gentis e muito simpáticos. Cardápio variado: tanto de pratos principais quanto de sobremesas, bem naturebas – sem açúcar, claro, ou adoçantes. O que é vegano, sem glúten e sem ovo está assinalado.
Meu prato foi o Penne Rústico, delicioso! Sabe aquela massa bem temperada, com perfuminho de alho? Logo eu que adoro alho… caiu como uma luva; meu fiel escudeiro pediu o Penne ao Funghi.
Não experimentei seu prato, como faço de costume, mas, como se trata de pessoa de bom paladar e elogiou a massa, confiei em sua opinião. A aparência era das melhores.

Outras opções que fazem muito sucesso são a moqueca de pupunha, o feijão tropeiro e a feijoada vegana.

Três das várias opções de sucos do cardápio. (foto gentilmente cedida pelo Bio Carioca)

Pedimos sucos incrementados para acompanhar as refeições e de sobremesa pedimos Torta de Banana e Doce de Tapioca com Côco e Castanhas do Pará. 

Torta de Banana. (foto gentilmente cedida pelo Bio Carioca)

Para quem gosta de mel a sugestão é o doce de iogurte ao mel com frutas vermelhas ou a mousse de cacau com castanha do Pará. A torta de goiabada com ricota substitui o “gato de botas” tão apreciado, só que em versão leve.

Torta de Cacau com Laranja e Gengibre (foto gentilmente cedida pelo Bio Carioca)

O restaurante foi inaugurado em março de 2010 pela senhora Ana Vasconcelos, vegana, que está à frente de seu empreendimento. O chef, Bruno Moliné, tem formação ayurveda.
Investimento na Sustentabilidade – A proprietária da casa, Ana Vasconcelos, investe na sustentabilidade do restaurante e valoriza os produtos locais. As hortaliças são todas orgânicas, não há uso de óleo, há coleta seletiva de lixo, os detergentes são biodegradáveis e a decoração da casa conta com objetos feitos com madeira de demolição.”
Saímos de lá felizes da vida. Vamos voltar.

Porções generosas de massa. A saladinha acompanha os pratos.

O Penne Rústico em foto cedida gentilmente pelo Bio Carioca. Imagine-se saboreando esse prato…

No dia em que estivemos no restaurante as sugestões de sobremesa não estavam completas. Mesmo assim, havia sortimento.

As sobremesas não perdem para os pratos principais e também são bem servidas.

Na parede, o cliente pode conferir as matérias publicadas em jornais e revistas a respeito do Bio Carioca.

Site: www.biocarioca.com.br 

Instagram: @BioCarioca

Facebook: https://www.facebook.com/biocarioca/

ROSA CRISTAL comenta.

BRASIL, Santa Catarina: Santuário N.S. do Caravaggio, Nova Veneza e Serra do Rio do Rastro.


O roteiro foi pesado para um dia só. Mas, como adoramos uma estrada, lá fomos nós, em um dia causticante de Verão, rumo ao título da postagem. Continuar lendo BRASIL, Santa Catarina: Santuário N.S. do Caravaggio, Nova Veneza e Serra do Rio do Rastro.

BRASIL, Florianópolis, SC – Praia dos Ingleses.


Para quem chega à Praia dos Ingleses pelo Centrinho do bairro, não há como não se deslumbrar com aquela imensidão azul cercada pelo abraço do Morro da Feiticeira (separa Ingleses da Praia Brava) ao norte e da Ponta dos Ingleses (separa Ingleses da Praia do Santinho) ao sul. Entretanto, Continuar lendo BRASIL, Florianópolis, SC – Praia dos Ingleses.

BRASIL, SC: Café Colonial do Tirolez, em Itapema – Imperdível!


“Quem vê cara não vê coração”. É verdade!… A fachada do Café Colonial é simples demais para o conteúdo oferecido nos salões. O menos avisado passa pela estrada…, olha…, não dá nada pela casa…, Continuar lendo BRASIL, SC: Café Colonial do Tirolez, em Itapema – Imperdível!

HOLANDA – Keukenhof Sob a Ótica de Angela Loreto.


Sou apaixonada por tulipas… e viagens. Daí, quando vi algumas fotos de Keukenhof, a primeira coisa que pensei foi: -Preciso ver isso! Ao vivo …E EM CORES!!!
Keukenhof seria a “cereja do bolo” da nossa viagem. E confesso, não decepcionou! Continuar lendo HOLANDA – Keukenhof Sob a Ótica de Angela Loreto.