BRASIL. CEARÁ. Fortaleza: Armazém dos Sabores – Imperdível!


IMAGEM DESTACADA: Visão parcial do Armazém dos Sabores.

Fomos ao armazém 3 vezes. A recepção simpática e acolhedora das proprietárias e dos funcionários nos cativou de imediato.
Quando vimos a variedade do self-service e o conteúdo das vitrines, mais encantados ficamos com o Armazém.

Também, pudera! Vejam a variedade de pães, torradinhas, biscoitos doces e salgados, bolos de diversos sabores, tortas, roscas, rocambole… Tudo no buffet é fresco e elaborado com esmero.

Essa mesa água a boca só em olhá-la. Nos rechauds fumegavam sopas, arroz, feijão, carnes e outras delícias, bem aquecidos graças ao calor de resistências infalíveis. Era tanta comida que não sabíamos por onde começar.

O divinal Armazém dos Sabores ainda oferece um mini mercado com uma variedade incrível de biscoitinhos, sucos, geléias, doces, iogurtes, refrigerantes, águas minerais, frutas secas e oleaginosas, leites, frios, farinhas prá viagem.

Biscoitos de ingredientes naturais, adoçantes, molhos, azeites, cereais e sorvetes. Até livros estão à disposição dos clientes.

O Armazém dos Sabores bate um bolão! Recomendo sem restrições.

" Se ao escalar uma montanha na direção de uma estrela, o viajante se deixa absorver demasiado pelos problemas da escalada, arrisca-se a esquecer qual é a estrela que o guia." (Antoine de Saint-Exupéry)

 

BRASIL. CEARÁ. FORTALEZA: Mercado dos Peixes de Mucuripe.


IMAGEM DESTACADA: Praia do Mucuripe.

O Mercado dos Peixes, revitalizado em 2013, foi inaugurado na década de 60 com o objetivo de centralizar a venda de pescados e frutos do mar, a fim de evitar que esse tipo de comércio fosse praticado nas vias públicas.

Em uma das paredes do mercado, uma bela homenagem ao valente pescador Tatá.
Mercadorias sem preço, o que me leva a crer que a cobrança leva em conta a cara do freguês.

O lugar é bastante aprazível. Mas o cheiro…

É nesse trecho da Praia do Mucuripe, que comerciantes e moradores adquirem seu pescado fresco. O início das vendas começa em torno de 5 da manhã e segue até às 17.00 horas.
Após esse horário, barracas e cadeiras são armadas nos fundos do mercado (na beira da praia), a fim de atender os desejosos de comer o pescado de sua escolha frito na hora.
O interessado percorre o mercado, escolhe o que pretende comer, paga e leva para um dos boxes que trabalha somente com o preparo e fritura de seu pescado.
Desculpem-me, mas… quando vi a cor do óleo em que mergulham as frituras, mô-quirido… Óleo pronto para o descarte. Sem contar o cheiro de gordura que paira no ar e o impregna da cabeça aos pés.
Essa atividade funciona até as 22.00 horas. E mais: os preços praticados são tidos como convidativos, mas não foi isso que vi.


“Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir.”(Amyr Klink)


 

ARGENTINA – JARDIM JAPONÊS, BUENOS AIRES (BOSQUES DE PALERMO)- Parte II


IMAGEM DESTACADA: Portal do Jardim.

Em abril de 2017 montei uma postagem bem explicadinha a respeito do Jardim Japonês (parte I)– uma das atrações do Parque 3 de Febrero, mais conhecido como Bosque de Palermo. Continuar lendo ARGENTINA – JARDIM JAPONÊS, BUENOS AIRES (BOSQUES DE PALERMO)- Parte II

BRASIL. CEARÁ, CE – ROTA DAS EMOÇÕES – 10º DIA: Onde Não Se Hospedar em Fortaleza.


IMAGEM DESTACADA: A FACHADA ENGANADORA – instalações que deviam ser condenadas! pela Saúde Pública.

NOSSO ROTEIRO
10º Dia na Rota: De Jericoacoara a Fortaleza.

Na saída da Vila tivemos a sorte de passar por um ninho de caburés. Como era de se esperar, os filhotes estavam devidamente protegidos pela melhor das sentinelas: a mãe. Cena mais fofa na qual nos demoramos por alguns segundos. Foi uma bela despedida de Jeri.

Em Fortaleza, Paulo (Off-Road Jeri ) nos deixou na porta de um dos piores hotéis (?) por onde já passei na vida.
Nem vou me estender em considerações, porque as fotos mostram fielmente o estado repugnante do quarto bem melhor do que qualquer argumento.
No primeiro apartamento que nos foi designado, a única coisa que se aproveitava era a vista:

A fachada engana. E muito! Recepção e corredores estão em condições habitáveis e é só.

Porém, os quartos…
A primeira surpresa: o quit de banho em cima da cama, com preço!

O primeiro quarto que nos destinaram era um horror! A madeira podre que servia de porta do banheiro estava quebrada e por isso não fechava.
Solicitamos outro quarto e nos ofereceram esse que você vê nas fotos, no primeiro andar. Não soubemos dizer qual o pior.


Neste, a janela tinha a fechadura quebrada, o ar condicionado quebrado e sem o controle! Todas as vezes que a vítima desta pocilga quisesse alterar a temperatura, tinha que chamar alguém da recepção para levar o controle até seu quarto nojento.

Nem a imagem da TV presta!

Paredes imundas, quebradas e com infiltrações.


Lixeira sem tampa… Vaso sanitário com acabamento de plástico flexível, vagabundo demais, estava sem um parafuso de ajuste.

REJUNTES IMUNDOS!
BANHEIRO NOJENTO!


Portas e alisares podres!


Quem pode confiar em uma tomada dessas?


Nada no frigobar, a não ser a água que compramos.


Café da manhã bom – total contraste com o deplorável estado de conservação dos quartos e banheiros. Foi o que escapou além da vista do primeiro quarto que nos destinaram.

Para encerrar o alerta, observem o horário de encerramento da diária: 11.59 horas. Só pode ser piada!!! Passou desse limite, istepô, vai pagar outra diária.

Isto significa, mô-quirido, que antes de você entrar neste quarto repugnante, acerte seu relógio. Caso contrário…, amargará o valor de outra diária.

O acabamento da caixa d’água que chamam de piscina.
Decomposição do que anunciam como “hotel”.
Como o elevador demora séculos para fechar a porta, daí, para o veículo não ser importunado, a solução foi retirar o botão acelerador de fechamento de portas.

NOTA: Os hóspedes sobreviventes a tanta insalubridade é que deveriam ser indenizados pelo Samburá Praia, por terem sido expostos a ambientes excessivamente contaminados por fungos e bactérias.

Onde estão os ÓRGÃOS OFICIAIS do TURISMO, que admitem uma biboca patógena como essa a funcionar como hotel?

*****

 

 

 

 

BRASIL. CEARÁ. CE – Jericoacoara. Cantina Jeri – Sugestão Para o Almoço.


IMAGEM DESTACADA: Fachada da Cantina Jeri.

A cantina vivia cheia, principalmente a noite. Acho que a iluminação caprichada, que chama mais atenção que o cardápio, atrai clientes que nem mariposas. Continuar lendo BRASIL. CEARÁ. CE – Jericoacoara. Cantina Jeri – Sugestão Para o Almoço.

BRASIL. CEARÁ, CE. Na Casa Dela do Beco – O Quintal Mais Chic de Jericoacoara.


IMAGEM DESTACADA: O quintal mais bonito da Vila de Jericoacoara.

EndereçoBeco do Forró, Jijoca de Jericoacoara – CE, 62598-000.
Horário: abre de segunda à sábado de 18.30 h às 23.00 h. Fecha aos domingos.

Não há muito o que dizer do restaurante mais original de Jericoacoara. Continuar lendo BRASIL. CEARÁ, CE. Na Casa Dela do Beco – O Quintal Mais Chic de Jericoacoara.

BRASIL. CEARÁ, CE – O Charme do Comércio de Jericoacoara.


IMAGEM DESTACADA: Por do Sol visto do Morro do Serrote, em Jericoacoara.

Pois é… Este é o mapa de uma das filiais do Paraíso. E está no Brasil! No Ceará, minha gente! No Ceará! Chama-se Vila de Jericoacoara – um lugar que atrai turistas do mundo inteiro e está ficando cada vez mais charmoso.
Sem entrar no mérito da questão anunciada no título da postagem, não posso deixar de citar duas atrações badaladas que ficam próximas à Vila:
1 – uma delas é a Duna do Por-do-Sol,  parte da moldura da própria Jericoacoara. É para lá que migram os visitantes que desejam ter uma visão privilegiada do ocaso.
A bem da verdade, esta duna já foi bem mais alta e havia quem a subisse em lombo de burro – quebra-galho oferecido por alguns jovens habitantes da vila, que encontraram nesse recurso a vantagem de descolar uma graninha dos mais comodistas assim como eu. Apesar de que, há 5 anos, escalei a duna na base da “viação canelinha” – minhas próprias pernas.

2 – A outra atração é a Pedra-Furada, cartão postal de Jericoacoara, onde você poderá chegar de algumas maneiras:

a) – A pé pelo Morro do Serrote. Trata-se de uma caminhada de aproximadamente 1 hora (ida e volta), mas que vale à pena. Não fica pesado porque você chegará lá, fará uma boa parada para clicar fotos ou fazer um vídeo…, tomar um banho de mar, quem sabe? Sentar-se em uma pedra para apreciar a paisagem… e depois retornar. O caminho começa na Rua do Forró. Basta pegar o trecho da lateral da Igreja Matriz e seguir.

b) – Em charrete, pelo mesmo Morro do Serrote.
Em agosto deste ano (2018) optamos por esse conforto, mas a desvantagem é que você, literalmente, só chegará à Pedra Furada se tiver disposição para descer o morro  a pé, tarefa que me pareceu trabalhosa.
Como fomos assistir apenas ao por-do-sol, não me aventurei em bisbilhotar por onde passar porque começou a escurecer. Escolhemos este horário por ser menos quente. Durante o dia a sensação é a de que abriram um maçarico em cima de você.

Durante o trajeto conversamos muito com esse jovem. Foi ele quem nos conduziu em charrete até a Pedra Furada.
Segundo nos informou, a prefeitura está providenciando outro caminho paralelo a esse de areia, só que será pavimentado. O objetivo é oferecer mais conforto a passageiros, charreteiros e, principalmente, aos animais.
Em terreno pavimentado fica mais fácil para os burros puxarem as charretes; e como não haverá buracos na estrada, não haverá solavancos; não havendo solavancos, o conforto será geral.
O jovem charreteiro nos contou também que é proprietário de 3 burros. Segundo ele, os animais ficam muito cansados por terem que puxar as charretes nesse tipo de terreno e por isso é preciso revezá-los.
Esteja certo de uma coisa: a pé ou de charrete, o passeio vale à pena e o aconselho. Aprecie as paisagens sem moderação. In loco, claro.

Fim de tarde visto do Morro do Serrote, em Jericoacoara.

c) – Pelo caminho das pedras, na maré baixa. Pode lhe parecer estranho, mas foi muito bom! Há gosto prá tudo, não é mesmo? Nessa de procurar a melhor pedra para pisarmos, o tempo passou e nem sentimos. É esse o caminho que os vendedores de água utilizam na maré baixa. Vários passaram por nós em uma velocidade espantosa e com uma caixa de isopor pesada nos ombros.  A impressão que tivemos foi a de que já sabem em quais pedras pisar.
Esta opção leva-o diretamente à Pedra Furada, com certeza, porque é, literalmente, o final da pedrada; isto é, do caminho. Ups! O  voo é direto, sem escalas.

d) – E a mais confortável, istepô, é você chegar lá de carro. Fiz esse percurso duas vezes. É o mais prático, claro, mas… nada tenho a dizer a respeito.


EVOLUÇÃO do COMÉRCIO – Finalmente!…

Voltamos a Jericoacoara após 5 anos e levamos um susto. Susto que costumamos levar quando vemos um lugar que conhecemos evoluir em curto espaço de tempo. Jeri foi demais!

Saímos para rever as famosas Lagoas Azul e Paraíso em companhia de Elivandro, pessoa simpática e gentilíssima que trabalha com Paulo (Off-Road Jeri), e nesse passeio botamos as novidades em dia. E haja papo. O conversê só parou na volta, na porta da pousada onde nos hospedamos. 
Conversa vai, conversa vem, comentamos a respeito do crescimento da Vila. Sem que tivéssemos citado a última vez em que estivemos em Jericoacoara, Elivandro foi categórico ao dizer que a Vila cresceu desse jeito em 5 anos. Batata!

Neste curto espaço de tempo italianos ergueram hotéis de alto padrão. Um restaurante que prima pela originalidade na decoração e excelente cardápio, o Na Casa Dela, abriu uma filial na própria Jeri – foi inaugurado enquanto estávamos lá.
Aumentou o número de pousadas e, pelo que me pareceu, de mercados também.
Há mais farmácias. Uma UPA elogiada por seus serviços está na entrada da Vila. Cafés bem atraentes oferecem cardápio variado – incluem refeições rápidas além de cafés incrementados, sanduíches e um monte de etecéteras. E boutiques. Muitas boutiques, cada uma mais bonita que outra.
Uma das sorveterias vive lotada – fabricação de diversos sabores, incluindo diet, no próprio estabelecimento.
Marcas bem conhecidas de roupas e perfumaria já atracaram em Jeri.
Becos que serviam apenas para corte de caminho viraram atração por conta do farto comércio.
Em função desse crescimento, Jericoacoara tornou-se mais iluminada. Explico: a Vila não conta com iluminação pública. É a iluminação das vitrines que ilumina as ruas. E dá pro gasto. Observe as fotos.


Na Rua do Forró uma boutique não usou nenhum tipo de revestimento no piso – é pura areia de praia, devidamente tratada.
Jericoacoara era uma antiga aldeia de pescadores e foi crescendo sem calçadas ou pavimentação nas ruas. A boutique Flor Jeri não fugiu à regra e também aderiu à areia de praia para cobrir o piso. Maravilha, porque não há nenhuma preocupação “em ter que varrer a loja para tirar a areia que trazem nos pés”.


Ao lado, outra loja chama atenção pelas redes artesanais confeccionadas em puro algodão.

Mais adiante a escola de dança anuncia ritmos e horários de aula. Está colada à agência dos Correios.

Muitos becos e ruas sem movimento foram interditados à veículos pesados. Ótima decisão, levando-se em conta que as mercadorias expostas nas vitrines podem chamar a atenção dos transeuntes e levá-los a se distraírem e amargarem acidentes.

Esta doceria caprichou no artesanato da porta que faz as vezes de cortina. É sensacional! Parei para olhar e fotografar, mas… acabei viajando no trançado.
Jericoacoara está que é puro charme.

Nesse beco, floreiras  chamam atenção pela criatividade…

… e no Centrinho também. Este jacaré não parece engolir a árvore?

Há cinco anos nem se imaginava Jericoacoara com um Café charmoso como esse.


A Color Time fez uma chamada bem interessante para o Dia dos Pais.

Observe! A iluminação das ruas provém de vitrines e das próprias lojas. Em Jericoacoara não há iluminação pública. E precisa?

Esta vitrine pertence a uma loja que, a meu ver, é a mais bonita da Vila. Chama-se Conto de Fadas. Por ser muito grande e em L, conta com duas portas. Trata-se de uma boutique de bijuterias e de peças para decoração.
Ao fotografar o interior de qualquer lugar costumo pedir licença ao responsável. Uma funcionária indicou-me um jovem senhor que estava um pouco afastado de uma das entradas. Era o  proprietário. Um francês simpaticíssimo com quem batemos um papo de 20 minutos. Contou-nos como havia chegado à Jericoacoara e mais algumas curiosidades.

Problemas com celular? Faltou bateria para sua máquina fotográfica? Esqueceu o carregador? Não há com o que se preocupar porque em Jericoacoara você encontrará uma loja especializada no assunto. Atendimento simpático e muito educado. Aonde? No Beco do Forró.

Lá você só não encontrará lojas de uma especialidade… Será que você advinha qual é? Dou-lhe uma…, dou-lhe duas…, dou-lhe três. Não matou a charada? Então, lá vai: sapataria!…


1º dia na Rota – De Fortaleza a Jericoacoara
2º dia na Rota – Jericoacoara – Lagoas: do Paraíso e Azul
3º dia na Rota Andanças Por Jericoacoara.
4º dia na Rota – De Jericoacoara a Luiz Correa, PI.
5º dia na Rota – Carnaubinha Praia Resort.
6º dia na Rota Barreirinhas e Circuito Lagoa Azul.
7º dia na Rota – Santo Amaro do Maranhão
8º dia na Rota – Flutuação no Rio Formigas, em Barreirinhas
9º dia na RotaDe Barreirinhas à Jericoacoara.

A Ex Bem Cuidada POUSADA D’AREIA.
– Divino Cafeteria no Centro de Barreirinhas – É Divina!
Hotel Villa Terra Viva, em Jericoacoara.
– Hotel Villa Beija-Flor, em Jericoacoara.
– Conto de Fadas – Onde Comprar em Jericoacoara.
Onde Almoçar em Jericoacoara. Ou não.
O Charme do Comércio de Jeri.
O Quintal Mais Charmoso da Vila.


“Todas as viagens têm suas vantagens. Se o viajante visita países que estão em melhores condições, ele pode aprender como melhorar o seu. E se a sorte te levar a lugares piores, você pode aprender a aproveitar o que tem em casa “. – Samuel Johnson


BRASIL. CEARÁ, CE. Conto de Fadas – Uma Loja Irresistível em Jericoacoara.


IMAGEM DESTACADA: Porta principal da loja.

Um belo dia, um francês simpático e boa pinta que mostrou-nos apreciar um conversê, chegou ao Ceará atraído pelos famosos ventos de Preá. 
Niki nos aproximamos do jovem senhor apenas para lhe pedir autorização para fotografar a loja, engrenamos em um papo que durou mais de 20 minutos.
Pela receptividade e atenção que nos dispensou, o desportista (ainda pratica kite) demonstrou que está totalmente integrado ao perfil descontraído e amistoso de quem mora em um país tropical. E em se tratando de Jericoacoara, istepô, mesmo que você queira se estressar, vai ser difícil.
Jeri contagia; a Vila entra na veia da gente sem que percebamos; daí, quando você se dá conta…, já está contaminado. E não tem cura! Sofro de Jericoacoarite crônica desde 2010.

Nesse curto espaço de tempo, Monsieur nos contou como chegou à Jeri.
Igual a tantos outros praticantes de kitesurf, o jovem se apaixonou pelo lugar e foi ficando, ficando… Constituiu família… E, não faz muito tempo, abriu a loja mais iluminada e chamativa da Vila de Jericoacoara: a Conto de Fadas.

A entrada mais atraente é pela Rua Principal. Como a loja é grande e em forma de “L”, há outro acesso pelo Beco Doce.
Chegamos a fim de olhar as mercadorias com bastante atenção e o fizemos por longo tempo.

Na Conto de Fadas as mercadorias primam pelo excelente acabamento. Algumas peças chamam atenção pela delicadeza e riqueza de detalhes. Outras, maiores, pela criatividade – a beleza desta arraia quase me levou à contemplação.

BRINCOS, COLARES, ANÉIS, BOLSAS GRANDES E SALTOS ALTÍSSIMOS sempre foram minha grande paixão.
Na década de 80 trouxe da Espanha bijuterias que assustavam pelo tamanho. Eram brincos de pingentes coloridos que ultrapassavam a altura dos ombros.  Fora esses discretos modelitos,  trouxe outros de argolas imensas. Vez ou outra ouvia uma piada na rua, uma crítica debochada no trabalho…, na faculdade…, mas não me importava.
Daí, mô quirido, apesar da idade avançada, quando me vi diante dessas vitrines quase que marido teve que chamar um Bombeiro para me resgatar de lá.

Observem esses brincos!!! São levíssimos.

Os anéis e os brincos agora são menores, mas dos colares e das bolsas grandes não abro mão.

O jovem proprietário contou-nos que recebe mercadorias de diversas partes do Brasil. Entrei na brecha e lhe disse que Florianópolis produz belíssimos artesanatos, se ele os conhecia, coisa e tal, mas…, respondeu-me que sair de Jeri para vê-los lá no sul “é muito longe”. Que pena!..

À esquerda, no painel, estão os chaveiros – cada um mais lindo que o outro.
Quando vi esses colares, o esforço foi sobrenatural para resistir. Consegui. Ufa!

  

Para quem gosta de pulseiras, provavelmente vai se perder neste universo de maravilhas. Pulseiras confeccionadas com capim dourado destacavam-se das demais bela beleza.


Todas as bijuterias são de fino acabamento.
Para quem cultua Beleza, indico a Conto de Fadas. Aprecie sem moderação.


1º dia na Rota – De Fortaleza a Jericoacoara
2º dia na Rota – Jericoacoara – Lagoas: do Paraíso e Azul
3º dia na Rota Andanças Por Jericoacoara.
4º dia na Rota – De Jericoacoara a Luiz Correa, PI.
5º dia na Rota – Carnaubinha Praia Resort.
6º dia na Rota Barreirinhas e Circuito Lagoa Azul.
7º dia na Rota – Santo Amaro do Maranhão
8º dia na Rota – Flutuação no Rio Formigas, em Barreirinhas
9º dia na RotaDe Barreirinhas a Jericoacoara.

A Ex Bem Cuidada POUSADA D’AREIA.
– Divino Cafeteria no Centro de Barreirinhas – É Divina!
– Hotel Villa Beija-Flor, em Jericoacoara.
– Hotel Villa Terra Viva, em Jericoacoara.
– Conto de Fadas – onde comprar em Jeri.
– O Farto Comércio de Jericoacoara.
Onde Almoçar em Jericoacoara.

"A prova de que no futuro não existirão viagens no tempo, é que não estamos sendo visitados pelos viajantes do futuro." -Stephen Hawking

BRASIL. CEARÁ, CE. Jericoacoara – Hotel e Restaurante Villa Terra Viva.


IMAGEM DESTACADA: Visão Parcial do Hotel.

VAMOS AOS FATOS
Não dá para entender tanto antagonismo em um mesmo hotel que prima por detalhes que demonstram preocupação com o bem estar do hóspede por um lado, e peca mortalmente pelo outro. Continuar lendo BRASIL. CEARÁ, CE. Jericoacoara – Hotel e Restaurante Villa Terra Viva.

BRASIL. MARANHÃO, MA. ROTA DAS EMOÇÕES COM PAULO OFF-ROAD JERI – 9º DIA: DE BARREIRINHAS à JERICOACOARA – O Caminho de Volta.


IMAGEM DESTACADA: Barragem Lima Brandão, em Granja.

NOSSO ROTEIRO
9º Dia na Rota: De Barreirinhas (MA) a Jericoacoara (CE).

ANOTE!
A Rota das Emoções poderá ser percorrida por dois itinerários que menciono mais abaixo. Percorrê-la por inteiro é um dos roteiros mais interessantes que fiz na vida, desde quando comecei a viajar – 1985. Continuar lendo BRASIL. MARANHÃO, MA. ROTA DAS EMOÇÕES COM PAULO OFF-ROAD JERI – 9º DIA: DE BARREIRINHAS à JERICOACOARA – O Caminho de Volta.