Arquivo da categoria: ONDE COMER?

Restaurantes/Lanchonetes/Cafeterias etc.

BRASIL, SC. Itapema: Café Colonial do Tirolez.


FOTO em  DESTAQUE: Parcial da Fachada do Tirolez.

A famosa casa localizada no Bairro de Ilhota, Itapema, à beira da BR-101, oferece suas delícias há mais de 25 anos para quem aprecia comida de qualidade.
Sinto grande satisfação ao lembrar que a conheço desde que se instalou quase em frente ao Posto da Polícia Federal, do outro lado da estrada.
O Café Colonial do Tirolez é especializado em culinária alemã.
Aos poucos e a custo de muito trabalho e arte foi ganhando, merecidamente, a fama de que desfruta.
São mais de 100 opções só no buffet!
A mesa é um chamado ao pecado da gula, sem contar os biscoitinhos, docinhos, pães (milho, centeio, trigo), geléias e outros tantos produtos já embalados.

Este Paraíso favorece quem está trafegando em direção à Florianópolis. Mas, se você estiver navegando no sentido Norte, fique atento. Logo após a Polícia Federal há um retorno; e para voltar a trafegar para o Norte, aí sim, você terá que seguir em direção à Florianópolis e só encontrará um retorno após 3 km de estrada. Compliquei? Então dê uma olhada no mapa abaixo.

Mesmo na baixa temporada há movimento no Tirolez; por conta desse porquê todas essas tentações estão sempre frescas.

É nesta ambientação simples, limpíssima, organizada e aconchegante que você poderá curtir várias especialidades da cozinha alemã.

Se o olho crescer e você partir prá experimentar um tiquiiinnnho de cada coisa, achando que vai dar conta… Há! “Vai mofar com as pombas na balaia”, istepô!…

O HORÁRIO de FUNCIONAMENTO é das 9:00 às 21:00 horas, exceto às terças-feiras.
HORÁRIO DE VERÃO: 8:00 às 22:00 horas, diariamente.
Telefone: 47. 3368-2556

PREÇOS
Há duas modalidades de cobrança: caso o interessado opte pelo buffet, pagará X. Caso sua preferência seja por refeição para viagem ou beliscar alguma coisinha, pagará Y.
Nesta modalidade, ou seja,  comer pouco, a pessoa terá que ter muita personalidade. Há, há!

*****

 

 

ARGENTINA, AR: Restaurante EL GRAN PARAÍSO, no Bairro La Boca.-


IMAGEM em DESTAQUE: Quintal do Restaurante.


Melhor informando: o Paraíso localiza-se na rua Gal José Garibaldi, entre as ruas Gal Gregório Araóz de Lamadrid e Magallanes.

A entrada do restaurante fica em frente à antiga linha de trem em um conventilho datado de 1890.
Não está no buchincho do bairro La Boca – que em minha opinião nada modesta resume-se à rua Magallanes -, mas atrai muita clientela e por isso fiz reservas aqui do Rio.
Uma respeitável churrasqueira e uma grelha dão as boas vindas e mostram o que poderá estar em seu prato em poucos minutos.
Confesso que achei muito esquisito entrar e ser surpreendida por esse panorama que se vê abaixo – além de um fumacê danado que tivemos que atravessar – até chegarmos ao quintal.
Por outro lado, para chamar atenção, principalmente de quem come com os olhos, a estratégia merece aplausos. E mais: o aroma do churrasco vai longe, além “da-queee-la!” fumaça. Basta seguí-los.

Passado o impacto da entrada – observe o fumacê -, nos deparamos com um salão coberto, à esquerda, muito bem arrumado…

… e aí, sim, vem o quintal – um convite ao bem estar em seu sentido mais amplo.
O atendimento foi muito bom. A jovem senhora que nos atendeu desdobrou-se em sua função, além de revelar-se pessoa apreciadora de humor negro.
O frango que pedi estava cru. Chamei-a, claro, para que o levasse novamente para o braseiro, blá, blá, blá… Ela olhou para o prato e exclamou em bom som: – Nossa! Está vivo!
Nessa de aguardar que o frango voltasse morto e bem passado conforme solicitei, acabei ficando prá trás e saí da harmonia do grupo.

A DECORAÇÃO
Aquelas peças que normalmente são descartadas em uma casa, transformaram-se em originais detalhes da decoração do jardim. Neste canteiro na foto aqui de baixo só faltou o vaso sanitário.

Um pé de máquina de costura foi transformado em mesa e serve como aparador.
Até uma atração turística há no quintal. Idéia genial.

PREPARE-SE!
É preciso estar com a carteira municiada com pesos, reais, dólares ou euros para pagar sua conta.
De acordo com um aviso acanhado que se vê ao pé da primeira página do cardápio, em março de 2018 o restaurante só estava aceitando pagamento em dinheiro.
Gostaria de saber o que acontece com quem sai com pouca grana no bolso, confiante de que pagará sua conta com o cartão de crédito. Neste caso, terá que desistir do programa?
E aquele que abre o cardápio aleatoriamente, sai procurando a página onde está o que pretende comer – carnes, por exemplo -, e fecha o menu sem tomar conhecimento de mais nada?
Convidou amigos e família para almoçar fora…, a turma come e bebe fartamente… E agora?
Lavar louça prá pagar a conta? Pendurar relógio? Deixar celular como garantia? Como fica? Me engana que eu gosto.

Mas as surpresas não param por aí; essa da foto abaixo achei interessante: um aviso que previne que o cliente pode não ser atendido. Cardápio sincero, esse!…

O BOM HUMOR TAMBÉM BROTA NO PÁTIO
A procedência do ar que se respira no quintal foi demonstrada de maneira criativa em um sistema 3D inédito. A-mei!

Vira e mexe o cliente se depara com uma situação risível como esta.

O CARDÁPIO,
para mim, deixou a desejar pelo motivo já exposto. Quem pediu carne bovina ou cordeiro ficou satisfeito.

A fraldinha (chuletão) veio no ponto certo.
O prato de Chouriço também agradou.
Papas Fugazzetas – Batatas fritas servidas com ovos mexidos, queijo e cebola caramelizada. Há outras sugestões bem interessantes.
O frango que por muito pouco não bateu asas e voou do meu prato.

Sugestões para sobremesa não escapam da criatividade: estão pintadas em placas penduradas nas paredes.

A lenha (ou parte dela) que não está armazenada próxima à churrasqueira, acaba sendo destaque na decoração.


O CARDÁPIO
Há opções bem interessantes para abrir os trabalhos – petiscar.
Os pratos de carne vermelha e choriço sugeridos parecem apetitosos e as opções para acompanhamentos também: saladas e batatas podem vir para sua mesa de maneira bem simples ou incrementadas.
As porções de carne são para 1, 2 e até 3 pessoas.
Para quem não aprecia nenhum tipo de carne há provoletas – pratos elaborados com queijo provolone.
Para conhecer a variedade de opções do menu basta clicar aqui.

Sem considerar aquele frango que veio sangrando, agonizante para meu prato, indico o restaurante.

*****

 

ARGENTINA, AR: Calle Magallanes – A Rua Mais Animada Do Bairro La Boca.


IMAGEM DESTACADA: Conventilho visto do Centro Cultural de Los Artistas.

LA BOCA
era sinônimo de Camiñito, sua mais famosa rua.
Nem o estádio de futebol conhecido como La Bombonera, em minha opinião nada modesta,  Continuar lendo ARGENTINA, AR: Calle Magallanes – A Rua Mais Animada Do Bairro La Boca.

ARGENTINA, AR – Mi Viejo, Restaurante em El Calafate.


IMAGEM DESTACADA: Capa do Cardápio.

Nas duas vezes em que estivemos em El Calafate (2016 e 2018), Mi Viejo foi o primeiro restaurante em que entramos, atraídos pelo aroma do braseiro. Também, pudera! Os assados ficam fumegando em uma vitrine à direita de quem entra, só para tentar quem passa na calçada.
O Mi Viejo tem história de família.

Trata-se de ambiente amplo, simples, descontraído. Mesmo na alta temporada o atendimento não deixa a desejar porque o pessoal acelera bastante.

Sentou, logo chega um belisquete para você se distrair “enquanto seu lobo não vem”.
O patê é divino e melhora mais ainda quando é lambuzado nas torradinhas.

OS PRATOS DE SUSTANÇA
O que chamam de Frango Grelhado corresponde à coxa e sobrecoxa e serve uma pessoa – quando serve! Eu e meu escudeiro já chegamos a pedir três porções. O tempero é muito bom e o ponto em que o frango sai da brasa é irreparável. Caso o queira mais bem passado, basta pedir e será atendido com boa vontade.
Para que não haja dúvidas, ei-lo na foto abaixo em porção dupla.

Batata grelhada com queijo para acompanhar qualquer tipo de assado é uma sugestão.

A outra é a imbatível maionese, que considero indispensável. Saborosíssima! Reina absoluta em sua simplicidade.

Minha cunhada optou pelo omelete. Pelo que disse, estava delicioso.

Meu mano, que não é muito chegado à massas, optou pelo nhoque com molho de ervas e nozes picadas. Segundo ele, estava muito bom.

Em 2016 estive no Mi Viejo duas vezes. Desta vez, 2018, mais duas.
O restaurante é sem mi-mi-mi e bate um bolão. Recomendamos sem qualquer “mas…”

*****

ARGENTINA, AR: Abuela Goye – Excelente Café/Restaurante em El Calafate.


IMAGEM DESTACADA:

Eu e meu fiel escudeiro havíamos tomado um lanche há alguns anos no Shopping Center Aldea de Gnomos, mas não demos conta de que havia sido no conhecido Abuela Goye.

A aparência do cardápio não é atraente, mas seu conteúdo é.

Desta vez aconteceu a mesma coisa: caminhávamos pela avenida principal de El Calafate quando bateu aquela vontade de tomar um cafezinho. E como estávamos passando pela porta, sem nos importarmos com o nome do Café, entramos. Surpresa quando vimos que tratava-se da famosa Abuela Goye.

O ambiente é simples, mas muito limpo – é o que me atrai em qualquer lugar; o atendimento foi simpaticíssimo: o jovem que nos atendeu transbordava boa vontade.

O cardápio é muito variado. Vai desde um simples cafezinho, passando por cafés e chocolates mais incrementados. Dos doces que normalmente pedimos para acompanhar essas bebidas quentes, há boas sugestões.
As opções para uma refeição mais encorpada estão sob os títulos de waffles, torradas, croissants, sanduíches etc. Difícil escolher.

Nas fotos abaixo, meu irmão estuda o cardápio – indecisão diante das opções intituladas Cafeteria Tradicional e Cafeteria Especial.

 

 

 

 

 

 

Até que escolheu um pequeno balde de café até chegar a hora do almoço. Para quem pretendia tomar apenas um cafezinho…

Fiquei no habitual cafezinho para não perder o costume.

O Café não oferece apenas refeições. Há sugestões para presentes tais como chocolates de diversas qualidades, e miniaturas de tamanhos diferentes da avó que dá boas-vindas na porta da cafeteria. Recomendo.

*****

ARGENTINA, AR – Bartola, Restaurante em Buenos Aires.


IMAGEM DESTACADA: Pintura Em Uma Das Paredes do Restaurante.

Estávamos hospedados no bairro Recoleta e, diariamente, passávamos pela porta do Bartola. À noite saíamos para jantar com o objetivo de conhecer o restaurante, mas o movimento era intenso e desistíamos de entrar.


Aconteceu que certo dia havíamos acabado de almoçar em um concorrente do Bartola e,  justo neste dia, passamos pela porta e o salão estava vazio – foi nossa oportunidade para conhecê-lo e entramos para tomar apenas um cafezinho.

O QUE SIGNIFICA BARTOLA?
A palavra deriva do espanhol e a tradução que mais combina com o ambiente do restaurante é “despreocupação”, embora haja definições bem diferentes. Caso tenha curiosidade, basta clicar aqui.

O SALÃO
A frente do prédio desperta curiosidade. Daí você entra e constata que o ambiente não decepciona e tem tudo a ver com aquela fachada atraente. Tudo chama atenção no Bartola e por isso pedi licença para bisbilhotar a casa e fotografá-la.
Mas antes aproveitei para dar uma olhada no cardápio e foi aí que entendi o porquê de o restaurante estar sempre lotado. Há comidinhas para todos os gostos e, pelas fotos postadas, a apresentação dos pratos não poderia ser mais bonita.

O salão é grande e a decoração varia à medida em que adentramos e nos aproximamos do jardim a céu aberto, localizado nos fundos.
Colunas de tijolos aparentes servem para marcar as diferenças nas padronagens utilizadas na parede – estamparias que primam por cores marcantes e festivas e que combinam com o colorido dos pratos apresentados no cardápio. Só vendo!..

O mobiliário é composto por peças de diversos estilos e cores, e a reciclagem não escapou deste contexto. Exemplo é o armário acima. Há luminárias de desenho bem simples e outras de modelos mais elaborados. Cada uma expande uma luminosidade diferente, de acordo com a lâmpada que se adéqua ao modelo. O efeito provocado é muito interessante.

Ao longo do restaurante não há um pedaço de parede que não chame atenção.

Nem o quintal perde em originalidade para o interior do Bartola: à noite ganha iluminação de velas em lamparinas e  fios de lâmpadas estrategicamente colocados, super decorativos em sua simplicidade.

Repito: os pratos apresentados no cardápio são bem decorados e me pareceram muito saborosos.
Para mim, vai ficar para a próxima; para vocês, fica a dica.

Ah! O atendimento para nosso humilde cafezinho foi excelente.

O ambiente do térreo é grande e o restaurante ainda conta com o andar superior, aonde ainda não estive.

Na decoração da entrada, o cartão de visitas da casa, de extremo bom gosto, chega a ser um convite ao relaxamento. Observem a beleza da composição! A expressão suave da jovem…, o passarinho…, fazem fundo à palmeira Areca e ao flamingo de cerâmica –  contraponto do agito que acontece à noite. E é justamente

embaixo desse painel que você poderá curtir bons momentos.

E ainda há a opção da calçada!
A isso chamo de múltipla escolha.

Para não se esquecer do nome Bartola, lembre-se de baitola. Trata-se da substituição de uma letrinha só, mas faz grande diferença: associação de idéias é tudo.

*****

 

 

 

ARGENTINA, AR – Pago de Los Glaciares, El Calafate.


IMAGEM DESTACADA: Vitrine do Pago.

A casa é aconchegante e a víamos sempre lotada. Já paquerávamos o restaurante desde nossa chegada, mas, como estava sempre cheio, íamos adiando.  Nesta noite de 19/3 decidimos que o conheceríamos, mesmo que tivéssemos que aguardar por lugar; não foi necessário. Chegamos em boa hora e o restaurante tinha apenas u’a mesa ocupada.
Fomos conduzidos a uma mesa muito bem localizada, e assim que abrimos o cardápio a primeira coisa foi saber que música o tal Disco tocava. Que Disco é esse, com letra maiúscula e tudo?

Fizemos os pedidos, mas antes de nossas opções chegaram from cozinha duas tábuas com generosas porções de lentilhas e berinjelas – ambas muito bem temperadas -, e um pãozinho quente e crocante para acompanhar a dupla.
– Bom demais da conta, sô! Foi logo dizendo minha cunhada/mana em sua meiga e abençoada mineirice.

Mas o motivo daquela paquera que escrevi ali em cima foi a sugestão anotada logo abaixo do nome do restaurante: Disco & Fondue. O que seria esse Disco?

Minha sobrinha pediu o Disco. Trata-se de uma caçarola de carne de frango e batatas que vieram borbulhando para a mesa. A caçarola era maior que um disco antigo de 12 polegadas.
A carne estava escondida embaixo da montanha de batatas, mas tudo bem. O som do borbulhar do molho era em estéreo, agora… o arranhão da bolacha ficou por conta do excesso de papas.

A massa com fungui que pedi estava muito saborosa, bem como a lasanha que meu fiel escudeiro pediu.

Mano e cunhada/mana compartilharam uma pizza. Segundo eles, estava ótima.

No final, o gesto simpático de oferecer uma arvorezinha de pirulitos para distrair os dentes até chegar ao hotel.

Nota: Os funcionários estão sempre atentos à chegada de clientes e ao movimento das mesas. Muito bom.
Valeu? Valeu.

*****

ARGENTINA, AR – El Braserito em El Calafate.


IMAGEM DESTACADA: Fachada do El Braserito.

O restaurante é simples, mas bem arrumado e limpo.
Pareceu-nos que são os proprietários que recebem os clientes, anotam os pedidos e executam os pratos.
O cardápio é variado e as opções são as mais caseiras possíveis: sanduíches, pizzas, massas, batatas fritas, frango empanado, e, claro, não poderiam faltas as empanadas e o churrasco.
Frango, cordeiro, morcilha, bife de chorizo, e o corte que chamam de churrasco são opções que vão para o espeto.

Mergulhei de cabeça em duas morcilhas.

Mano e fiel escudeiro optaram por suculentos nacos de carnes…,

e minha sobrinha e cunhada não dispensaram um poderoso sanduíche. Tudo muito gostoso.

Fachada do El Braserito.
O aviso acima está atravessado na calçada, seguro em estacas. Para não enxergá-lo, mesmo de longe, há de se ter muita personalidade…

Quentinhas, o restaurante trabalha apenas com frango grelhado e pizza de frango. Qualquer dúvida, basta consultar o site clicando aqui.
Recomendo para quem aprecia comidinhas simples, porém saborosas.

*****

 

ARGENTINA, AR: Establo – Onde Comer Bem em Buenos Aires.


IMAGEM DESTACADA: Um dos endereços mais procurados no Centro de Buenos Aires para quem curte uma boa carne.
Fica na esquina de Paraguay com San Martin.

EM 2011
o restaurante era arrumadinho, mas havia uma certa descontração no ar que conferia ao El Establo um clima de taberna.
O movimento indiscreto e intenso de saídas de quentinhas, a singeleza da decoração… acho que era isso que contribuía para o “quê” caseiro do ambiente.
O balcão que se vê na foto, revestido de ladrilhos, era outra peça que reforçava bastante o tal ar de taberna. Agora, a comida… era e continua boa!

Foto de 2011.
Foto de 2011.
Foto de 2011.

EM 2018,
ao adentrarmos o salão pela San Martin, notei certa diferença: não afirmo que o balcão ladrilhado tenha sido reformado porque não prestei atenção e nada tem a ver com a qualidade dos pratos servidos. Mas, que o El Establo ganhou atmosfera mais chique, ah…, isso ganhou.
Prá começar, fomos recebidos por um maître elegantíssimo – bela figura que trajava um smoking super bem passado, daqueles que a gente já viu em comercial de papel sanitário. Sabe qual?
Ninguém com pano de prato pendurado no braço ou no ombro.

O CARDÁPIO
continua oferecendo pratos sem fru-frus, mas muito bem servidos e temperados.
Minha sobrinha abraçou-se com o que você vê acima (ela pediu estrogonofe e trouxeram essa carne de panela. Nada a ver, mas segundo sua opinião, estava divino), e meu irmão e cunhada compartilharam uma porção que era o dobro da que se vê na foto abaixo, acompanhada por ovo frito, legumes (cenoura e petit-pois) acebolados, bacon e batata portuguesa. Duas cervejas bem geladas completaram a festa para meu mano e meu fiel escudeiro.

Pedi um filé de linguado com purê de batatas e um suco de laranja que, para minha surpresa, veio em um balde: o copo era enorme!

El Establo conta com porções que você poderá compartilhar numa boa. Recomendo sem restrições.

*****