Villa do Porto – Restaurante e Bar em Santo Antonio de Lisboa.


IMAGEM DESTACADA: VISTA da PRAIA de SANTO ANTONIO DE LISBOA, em FRENTE AO RESTAURANTE VILLA DO PORTO.

Endereço: R Quinze de Novembro,123
Santo Antônio de Lisboa Florianópolis – SC
Tel: 48 3234-1000

Horário de funcionamento
Segunda e Terça: 12h – 23h
Quinta a Sábado: 12h – 23h
Domingo: 11:30hs – 17h

Santo Antonio de Lisboa, em Florianópolis, está repleto de bons restaurantes e o Villa do Porto destaca-se por três motivos: ocupa um casarão Histórico – da época da colonização da cidade pelos açorianos -, está bem no Centrinho do bairro e em frente à praia. Melhor que isso?

Ao lado do restaurante está a Praça Roldão da Rocha Pires onde encontramos a primeira rua calçada do Estado, construída na época em que Dom Pedro II visitou o bairro, em 21 de outubro de 1845. É a rua que vemos na foto, colada à uma das paredes do Villa do Porto.

E mais! Foi justamente nesta casa onde se hospedou o imperador.

A ocupação do salão do primeiro andar é para aproximadamente 100 pessoas e é este espaço que a gerência costuma sugerir para abrigar convidados de grandes comemorações, ocasião em que o menu poderá ser personalizado.

O menu é à la carte e consta de pratos de peixe, frutos do mar, risotos, saladas e carnes. O cardápio faz ainda um passeio rápido pela Itália (brusquetas e pizzas, por exemplo) e ainda pelo Japão (Sushi bar).

Durante a temporada os lugares são disputadíssimos, principalmente as mesas que ocupam a calçada. Convém chegar cedo se você preferir degustar ostras e camarões ouvindo o barulhinho da onda quebrando na beira da praia.

Atendimento da melhor qualidade: rapaziada simpática, receptiva, educada. Recomendo.

DSCN1592 (1024x768)
O casarão onde o Imperador permaneceu em sua visita ao bairro. Ficou muitos anos fechado, até que o Villa do Porto o ocupasse.

*****

DSCN1593 (1024x768)
Ao lado, colada á parede do casarão, a primeira rua calçada do Estado!

*****

DSCN1602

Estivemos no início do Inverno no Villa do Porto. Gentilmente, o garçom, outro carioca, nos ofereceu os caldinhos de legumes que você vê na foto. Não imaginam como caiu bem! Havia chovido e o frio estava de lascar. Os caldinhos esquentaram até nossas almas.

DSCN1605 (1024x768)
VISTA DO SALÃO DO TÉRREO.

*****

DSCN1608 (1024x768)
PARCIAL DO SALÃO DO PRIMEIRO ANDAR

*****

DSCN1609 (1024x768)
PIZZAS CAPRICHADAS ASSADAS EM FOGÃO À LENHA

*****

DSCN1610 (1024x768)
ASPECTO DO ESPAÇOSO BAR, NO TÉRREO.

*****

DSCN1614 (1024x768)
A PORÇÃO É PARA UMA PESSOA: PEIXE (não me recordo mais qual foi) COM MOLHO DE CAMARÃO, BATATAS FRITAS, ARROZ e PIRÃO.

*****

DSCN1618 (719x1024)
A conta, em apresentação prá lá de original. Adorei a idéia.

*****

DSCN1621
Como despedida, essa paisagem maravilhosa de Florianópolis iluminada, vista de Santo Antonio de Lisboa.

*****

img186 cópia

*****

Moderadora: Rosa Cristal

Catedral de Lima – O Principal Monumento da Praça Mayor.


IMAGEM DESTACADA: Interior da Basílica/Catedral de Lima.

*****

*****

VOCÊ SABE QUAL A DIFERENÇA ENTRE CATEDRAL e BASÍLICA?

O QUE É UMA BASÍLICA?

A denominação remonta às Ágoras gregas, origem mais remota de nossas Bolsas de Valores, por serem locais públicos onde pessoas se reuniam não apenas atraídas por feiras e mercados, bem como para discutir política, cultura e outros assuntos de interesse dos cidadãos.

As mercadorias eram anunciadas em voz alta, a fim de que todos escutassem o que estava sendo comercializado, tal qual acontece ainda hoje nos pregões das Bolsas de Valores. Para quem ainda não sabe, este é o motivo da gritaria. Continuar lendo Catedral de Lima – O Principal Monumento da Praça Mayor.

Carrières de Lumière – Baux de Provence.


IMAGEM DESTACADA: Óleo sobre tela de Pierre-Auguste Renoir ( 1876) intitulada O Baile no Moulin de la Galette. Obra Impressionista medindo 75.5 x 99.  Acervo Museu d’Orsay  

******

*****

NB: Saindo do Château d’Estoublon trafegue pela A-54. Nesta estrada há pedágios! Estradas com a designação da letra “A cobram pedágios por serem de tráfego mais rápido.

Para não me estender deixo dois links esclarecedores para você que pretende dirigir no exterior. Um deles é o lugares inesquecíveis  e o outro é o Conexao Paris.

*****

Baux-de-Provence é uma comuna francesa  (“comuna” é o menor nível de uma divisão administrativa na França) que, apesar de pouquíssimos habitantes (pelo que pesquisei em 2013 chegou a 450!) atrai cerca de 1.500.000 visitantes por ano! O número é esse mesmo, não me enganei.  Está perto de Saint-Rémy de Provence (8 km) e de Arles (16 km). Continuar lendo Carrières de Lumière – Baux de Provence.

Chateau d’Estoublond Fontvieille – História de Sucesso às Custas de Muito Trabalho.


IMAGEM DESTACADA: FACHADA DO CASTELO.

https://www.jscache.com/wejs?wtype=socialButtonIcon&uniq=295&locationId=187256&color=green&size=rect&lang=pt&display_version=2

*****

Vinícola:
Endereço: Route de Maussane, 13990 Fontvieille, França.

Horário:

segunda-feira Fechado
terça-feira 10:00–13:00, 14:00–18:00
quarta-feira 10:00–13:00, 14:00–18:00
quinta-feira 10:00–13:00, 14:00–18:00
sexta-feira 10:00–13:00, 14:00–18:00
sábado 10:00–13:00, 14:00–18:00
domingo Fechado
 *****

UM POUCO DE SUA INTERESSANTE HISTÓRIA

Saímos de Saint-Rémy-de-Provence rumo ao castelo cuja história remonta à Idade Média, século XV, até então batizado como “Grand Mas“. No século XVIII o imóvel, então denominado Mont-Paon, recebe o nome de Estoublon em memória de um feudo do mesmo nome. Nada em destaque a meu ver.
Em 1900 foi adquirido por um antiquário parisiense, que se desfez do imóvel alguns anos depois após esvaziá-lo de móveis e emadeiramento.
O proprietário seguinte, um agricultor, conta-se, não fincou raízes por achá-lo muito grande para seu uso pessoal. Vendeu-o em 1932 à família Lombrage, que empenhou-se em reconstruir suas oliveiras após uma geada de 1956.
Só em 1998 é que o castelo passa para a família Schneider, que decide explorar as terras cobrindo a propriedade com videiras e oliveiras. Continuar lendo Chateau d’Estoublond Fontvieille – História de Sucesso às Custas de Muito Trabalho.

Saint-Rémy-de-Provence,França. Deguste a Provence.


IMAGEM EM DESTAQUE: Centro Antigo de Saint-Rémy

Dia seguinte ao de nossa chegada a Aix, 03 de junho de 2013, partimos em carro para Saint-Rémy-de-Provence em companhia de nossa estimada guia, amiga e motorista Leonor, cumprindo o roteiro traçado com engenho e arte por Anaté Merger. Cheios de entusiasmo!
Nosso portal na Provence foi Aix. Apaixonamo-nos pelos cenários campesinos que nos acompanharam desde nosso desembarque na estação do TGV até adentrarmos a cidade. Não imaginávamos que um ano depois estaríamos de volta, tão maravilhados ficamos com a região.
E pensar que esses cenários ensolarados que encantaram e serviram de inspiração para renomados pintores ficam a mínimas três horas de Paris, uma das cidades mais famosas e movimentadas do mundo, é uma injeção de ânimo para quem ainda não se perdeu pelos caminhos da Provence.
Não foi à toa que escolheram o Sul da França para fazer ninho. Retrataram suas cores com fidelidade, graças ao Sol que ilumina essa região francesa por mais de 300 dias ao ano.

Paul Cézanne, Van Gogh, Picasso e Renoir, para citar alguns deles, habitaram Aix, cidades vizinhas e o litoral.

COMO CHEGAR A SAINT RÉMY:

Há um site muito interessante – basta clicar aqui – que lhe mostrará as possibilidades para se chegar a Saint Rémy partindo de Aix-en-Provence, de Marseille ou de Avignon, por exemplo. O mapa mostra os trajetos cobertos por trem, automóvel ou ônibus.

De Aix a Saint Rémy levamos aproximadamente 1 hora de viagem, trafegando pelas rodovias A8 e A7. A opção pela A-54 aumenta o percurso em apenas 10 minutos e foi por essa rodovia que retornamos a Aix saindo de Les Baux-de-Provence.

Saint Rémy está próxima de Arles, de Avignon, do Castelo d’Estoublon, de Les Baux de Provence e do sítio arqueológico de Glanum.

Berço do médico, farmacêutico e astrólogo Nostradamus, a cidade também é bem próxima do antigo monastério e ex hospital psiquiátrico (atual Casa de Saúde de São Paulo) onde Van Gogh permaneceu internado por um ano antes de sua morte, período em que pintou suas telas mais disputadas por colecionadores endinheirados.

A cidade é bem dotada de restaurantes, cafés, hotéis e comércio, principalmente de lojas de lembrancinhas.
Acontece que esse diminutivo nos endereça a pequenos objetos, mas nem sempre nos deixamos levar por esses pacotinhos.
Por minha insistência meu fiel escudeiro acabou trazendo como souvenir um galo artesanal de metal, cheio de pontas, cuja medida ultrapassa os 70 cm desde a unha ao alto da crista.
– Quem vai levar o galo até ao Rio ? Estamos no início de nossa viagem! Senti firmeza na pergunta ao vê-lo de olhos arregalados e franzindo quase  o todo o rosto – só faltou o nariz.
Mais que depressa me ofereci para transportar o galináceo, doida que estava para vê-lo enfeitando sua cozinha nova. E mais: insisti para que trouxesse a galinha, mas o escudeiro fincou pé e disse um “Não!” bastante convincente.
Nem preciso dizer que quem andou com o galo embaixo do braço até ao Rio foi ele, não é? Tempos após nossa chegada, do alto de sua humildade ainda acabou me confessando que se arrependeu por não ter trazido a penosa.
Ah, se eu soubesse!…

*****

CONSELHO: Deixe-se levar pela tranquilidade das ruas da cidade, pelo aroma desprendido das panelas de algum restaurante, ou por um bate papo prá lá de animado sentado à mesa de algum Café.
Descansar da caminhada e comentar tudo o que viu e sentiu até o primeiro gole de um chá, um chocolate ou um cafezinho fresco acompanhado de um bonito pedaço de torta, convenhamos, é um grande privilégio.
A Provence é assim: para ser vista com calma; muita calma.

Deguste a Provence!

*****

204 copy - Cópia
Uma das entradas do Centro Histórico da cidade.

*****

205
Sabonetes, sachets, calissons, geléias, confitures – aromas e sabores da Provence.

*****

207

*****

209
Fonte Nostradamus no Centro Histórico de Saint-Rémy.

*****

211

*****

Saint Rémy de Provence
Saint Rémy de Provence

*****

215
Janela da casa onde habitou Nostradamus.

*****

217

*****

img186

*****

Moderadora:  Rosa Cristal