ARGENTINA, AR – Bar EL FEDERAL, Decadente “NOTÁVEL” de Buenos Aires.


IMAGEM em DESTAQUE: Balcão do El Federal.

De 18/9/2011 a 27/3/2018 muita coisa mudou – e prá pior – no El Federal, bar incluído na relação dos 50 Notáveis de Buenos Aires.

O QUE SIGNIFICA SER UM “NOTÁVEL”?
Como o próprio nome sugere, são confeitarias, bilhares, bares e restaurantes da cidade, que ganharam destaque por algum motivo: pela arquitetura, pela história que acumulou com o passar dos anos, pela culinária, pelos frequentadores assíduos – personalidades que se destacaram em suas atividades tais como  política, poesia, literatura, música, pintura…
Alguns fazem parte do Patrimônio Cultural da cidade, e para entender esse porquê basta entrar em qualquer um da relação que você encontrará clicando aqui, ó   Notáveis de Buenos Aires.

Porta lateral do El Federal, pelo lado da rua Carlos Calvo.

Acontece que nem todas as casas incluídas neste rol preservam esses preciosos patrimônios. Um deles é o El Federal, localizado no bairro San Telmo.

Em 2011 visitei-o por sua importância histórica e agora, em março de 2018, por conta do blog.
Não acreditei na visão lastimável que tive: a aparência é péssima! O Federal está sujo; está nojento; visivelmente abandonado. O ambiente denota relaxamento. Fui até lá para tomar café, mas desisti.

Casa de mãe Joana, como minha mãe costumava dizer.

O piso: além de gasto, é sujo. E o rodapé do balcão? Cinza de tanta sujeira.

O prédio data de 1824. Tratava-se de uma “pulperia” (comércio de bebidas e comestíveis. Artigos de mercearia. Em certas regiões era lugar de reunião de campesinos que aí se reuniam para beber)

Em condições – e mesmo assim faltando uma boa lustração – está o arco. Em cima do balcão, pães sem qualquer proteção contra insetos e poeira estão à espera de que algum corajoso lhe lance mão.

Nas prateleiras mal feitas, que nada têm a ver com a mobília original do El Federal, agonizam garrafas empoeiradas que, visivelmente, há anos não são tocadas – nem para limpeza.

Essas garrafas que deveriam estar escondidas por seu estado deplorável de conservação, estão à mostra como que troféus em meio a grossos canos e fiação elétrica mal instalada – imagens que denigrem ainda mais a imagem do bar e conseguem atropelar a beleza da peça que deveria estar livre, leve e solta, reinando absoluta: o arco que serve de suporte para o relógio.

Diante desse cenário condenável que a administração do El Federal tem a coragem de expor ao público, fiquei imaginando o estado dos banheiros…
Vale a visita – ao Federal, que fique bem claro – para matar a curiosidade; e só.

*****

ARGENTINA, AR – Pago de Los Glaciares, El Calafate.


IMAGEM DESTACADA: Vitrine do Pago.

A casa é aconchegante e a víamos sempre lotada. Já paquerávamos o restaurante desde nossa chegada, mas, como estava sempre cheio, íamos adiando.  Nesta noite de 19/3 decidimos que o conheceríamos, mesmo que tivéssemos que aguardar por lugar; não foi necessário. Chegamos em boa hora e o restaurante tinha apenas u’a mesa ocupada.
Fomos conduzidos a uma mesa muito bem localizada, e assim que abrimos o cardápio a primeira coisa foi saber que música o tal Disco tocava. Que Disco é esse, com letra maiúscula e tudo?

Fizemos os pedidos, mas antes de nossas opções chegaram from cozinha duas tábuas com generosas porções de lentilhas e berinjelas – ambas muito bem temperadas -, e um pãozinho quente e crocante para acompanhar a dupla.
– Bom demais da conta, sô! Foi logo dizendo minha cunhada/mana em sua meiga e abençoada mineirice.

Mas o motivo daquela paquera que escrevi ali em cima foi a sugestão anotada logo abaixo do nome do restaurante: Disco & Fondue. O que seria esse Disco?

Minha sobrinha pediu o Disco. Trata-se de uma caçarola de carne de frango e batatas que vieram borbulhando para a mesa. A caçarola era maior que um disco antigo de 12 polegadas.
A carne estava escondida embaixo da montanha de batatas, mas tudo bem. O som do borbulhar do molho era em estéreo, agora… o arranhão da bolacha ficou por conta do excesso de papas.

A massa com fungui que pedi estava muito saborosa, bem como a lasanha que meu fiel escudeiro pediu.

Mano e cunhada/mana compartilharam uma pizza. Segundo eles, estava ótima.

No final, o gesto simpático de oferecer uma arvorezinha de pirulitos para distrair os dentes até chegar ao hotel.

Nota: Os funcionários estão sempre atentos à chegada de clientes e ao movimento das mesas. Muito bom.
Valeu? Valeu.

*****

ARGENTINA, AR – El Braserito em El Calafate.


IMAGEM DESTACADA: Fachada do El Braserito.

O restaurante é simples, mas bem arrumado e limpo.
Pareceu-nos que são os proprietários que recebem os clientes, anotam os pedidos e executam os pratos.
O cardápio é variado e as opções são as mais caseiras possíveis: sanduíches, pizzas, massas, batatas fritas, frango empanado, e, claro, não poderiam faltas as empanadas e o churrasco.
Frango, cordeiro, morcilha, bife de chorizo, e o corte que chamam de churrasco são opções que vão para o espeto.

Mergulhei de cabeça em duas morcilhas.

Mano e fiel escudeiro optaram por suculentos nacos de carnes…,

e minha sobrinha e cunhada não dispensaram um poderoso sanduíche. Tudo muito gostoso.

Fachada do El Braserito.
O aviso acima está atravessado na calçada, seguro em estacas. Para não enxergá-lo, mesmo de longe, há de se ter muita personalidade…

Quentinhas, o restaurante trabalha apenas com frango grelhado e pizza de frango. Qualquer dúvida, basta consultar o site clicando aqui.
Recomendo para quem aprecia comidinhas simples, porém saborosas.

*****

 

ARGENTINA, AR: Lago Nahuel Huapi – O Passeio de Veleiro de Angela Loreto.


IMAGEM DESTACADA: Lago Nahuel Huapi.

Até que enfim!, acabei desencravando fotos que cliquei do Lago Nahuel Huapi em 2012.  Você pode não acreditar, mas parece que foi ontem… 
Cada vez que abro “Minhas Imagens” não sei por onde começar.
Daí vi que minha amiga Angela Loreto, também colaboradora do blog – outro amigo que contribui com belas fotos e informações é Rodrigo de Souza Cardoso -, fez um passeio em veleiro pelo lago e gostou muito. Nem pisquei. Com autorização da amiga, segue a postagem.

O LAGO NAHUEL HUAPI
é de origem glacial e está a 700 m acima do nível do mar.
Pertence a duas províncias: Neuquén e Rio Negro. Nesta última é  onde está Bariloche, cidade fundada em 1895 na margem sul do Nahuel Huapi.
Sua profundidade maior não ultrapassa à do Lago Argentino (500 m), em cuja margem está El Calafate,  mas chega perto: 450 m.
É pontilhado por várias ilhas, sendo a de maior destaque a paradisíaca Isla Victoria.
Normalmente, a visita à ilha é conjugada com a do Bosque de Arrayanes, localizado na península Quetrihue, beeem pertinho de Villa La Angostura.

Nota: o mapa ilustra apenas a localização do bosque e a possibilidade de alcançá-lo pela fantástica estrada RN40.

EMBARQUE
no Porto Pañuelo, a aproximadamente 23 km do Centro de Bariloche. Caso dispense os transportes turísticos, o ônibus 20 passa lá. Este passeio você poderá fazer durante todo o ano.

Segundo Angela, que optou por navegar em um veleiro, “O passeio dura cerca de duas horas. A capacidade da embarcação é para 10 pessoas.
Na volta nos foi servida uma pequena tábua de frios acompanhada por refrigerante ou vinho argentino (lógico).
Quem tiver oportunidade, deve fazer esse passeio”. Os telefones para contato são: 0294-15-4534382 e 011-15-6701-8321.

Imagem do Lago Nahuel Huapi clicada por Angela Loreto.

No BOSQUE de ARRAYANES
o visitante desembarca após uma hora de navegação pelo Lago Nahuel Huapi. Trata-se de uma reserva natural localizada na Província de Neuquém. Pertence à Villa la Angostura, outra atração digna de nota.

O bosque impressiona pelo colorido dos troncos das Arrayanes, de cor avermelhada, espécie abundante nesta região.

No Bosque de Arrayanes  (murtas) a caminhada é confortável devido às passarelas que foram construídas para preservar a vegetação.
Neste cenário de conto de fadas construíram uma confeitaria em um chalé, que muitos pensam ter servido de inspiração para Walt Disney.
O que poucos sabem, é que essa estória que chega aos ouvidos de alguns visitantes não tem fundamento.

No site da Folha de São Paulo de 22/5/18 há uma reportagem a respeito das cidades mais atraentes do norte da Patagônia.
Uma, em especial, datada de 25/5/17, esclarece que Walt Disney nunca…
Hummm… Melhor você mesmo clicar ali em cima e descobrir a novidade.

*****

 

 

ARGENTINA, AR – EL CALAFATE: Glaciares Gourmet – Toda Atenção Ao Roteiro É Pouca!


FOTO em DESTAQUE: Iceberg no Lago Argentino.

Em setembro de 2017 fui atraída por um roteiro em El Calafate que vi no site da empresa  Continuar lendo ARGENTINA, AR – EL CALAFATE: Glaciares Gourmet – Toda Atenção Ao Roteiro É Pouca!

ARGENTINA, AR: El Calafate – Aviso Aos Navegantes. Literalmente!


FOTO em DESTAQUE: Glaciar Spegazzini.

AVISO AOS NAVEGANTES!

1- PARA QUEM PARTE DE EL CALAFATE:
Sabemos que as principais atrações desta cidade incluem navegação  e por isso gostaria de chamar atenção para o que oferecem as empresas de turismo. “Foca em mim!”

Em outubro de 2017 adquirimos 05 (cinco) passagens para um passeio intitulado Glaciares Gourmet, anunciado no site da Brasileiros em Ushuaia e executado pela empresa MarPatag.
Esta navegação marcada para o dia 17/3/2018 foi agendada com muita antecedência – só 5 meses antes.
Brasileiros em Ushuaia encarregou-se apenas de mediar a transação entre nós, passageiros, e a executora do serviço. Mesmo com participação mínima no filme, ambas acabaram se destacando ao fazer bonita caca na fita.

Em 14/3/2017, ao desembarcarmos em El Calafate, ainda na porta do aeroporto recebemos a relação dos programas a serem cumpridos na cidade, e verifiquei que desta lista não constava o Glaciares Gourmet!
Para encurtar a conversa: perdemos mais de duas horas correndo atrás, literalmente, dessa omissão – a primeira caca.
Acertados os ponteiros, concluí que nosso prejuízo foi fruto da falta de atenção de algum funcionário (ou alguns?) da Brasileiros em Ushuaia. O que aconteceu? Digitaram incorretamente o nome da operadora deste passeio. Obviamente, nosso nome não poderia constar da lista que me foi entregue.
Pergunta: a emissão dos vauchers teria passado por conferência? Tudo indica que não.
Tem mais: nessa corrida atrás do prejuízo, fomos parar na operadora cujo nome constava erradamente nos vauchers. Lá, um funcionário brasileiro também falhou na informação que nos prestou! Ou seja: uma sequencia de erros de parte das duas empresas de turismo, que nos trouxe aborrecimentos de sobra e desnecessários. Mais caca! Mais caca!
Gastos com viagem para divertimento é uma coisa; agora…, gastar dinheiro para nos aborrecermos, e ainda herdarmos relaxamento, indiferença, falta de atenção, incompetência etc. de empresa de turismo, no mínimo, é muita falta de respeito!

2- CHEGOU A VEZ DA MARPATAG…
Aconteceu que do glaciar Upsala, incluído no roteiro desta empresa (o que compramos na Brasileiros em Ushuaia…), não tivemos notícia.
A foto de autoria do senhor Rui Barbosa Batista, obtida na internet, não me deixa nenhuma dúvida – não chegamos até lá. Não navegamos nem próximos a alguma paisagem parecida.

Foto de autoria de Rui Barbosa Baptista.

Estou reclamando com a MarPatag para saber o porquê de não termos sidos avisados dessa mudança na programação, mas a explicação é sempre a mesma: argumentam que por questões de segurança e/ou navegabilidade, o capitão tem livre arbítrio para modificar o roteiro.
Hoje, 18/5/2018, filmei página por página do site desta empresa e não vi um aviso sequer a respeito de mudanças de roteiros seja por que motivo for. Não há!
Esta semana recebi mensagem de um funcionário de expressivo departamento público brasileiro em Buenos Aires, informando que a Argentina não conta com serviço forte de proteção ao consumidor. Nem preciso dizer que é justamente esse desamparo que estou sentindo na própria pele, não só com a indiferença, relaxamento, sei lá, da Mar Patag, como com o Cyan Recoleta Hotel, que me deve US$69,30 desde 29/3/2018 por cobrança a maior de hospedagem e até o momento não se dignou em me devolver.

3- NESTE CASO DO DESCUMPRIMENTO DO ROTEIRO,
convenhamos: o passageiro dispende suadas economias  para visitar determinada atração, mas pode não conseguir seu objetivo por conta de uma decisão do capitão, que você não sabe se é verdadeira ou não!..
Que passageiro vai discutir uma alegação do tipo “tem muito gelo na pista e podemos derrapar; é impossível navegar até ao Upsala?” E fica por isso mesmo!…
Mas o pior nem foi isso! É que não anunciaram as mudanças do roteiro!… Informam pelo alto falante as características dos principais pontos visitados (dos principais!…) e fica por isso mesmo.

4- SENSÍVEIS, MAS GRANDES DIFERENÇAS.
Há empresas que têm consideração e delicadeza para com seus passageiros e informam essa possibilidade nas páginas de seus sites. A bem da verdade, os passageiros nunca saberão se essas modificações procedem, mas…, pelo menos, foram avisados. Ou enganados?
De qualquer forma, esses avisos prévios funcionam.  Nem que seja psicologicamente, mas funcionam.  Mas, por que será? Porque acabamos achando que o capitão jamais faltará com a verdade? Nessas situações, não tem ‘Ai, ai, meu Deus” e nem “tudo bem, minha fia”. Suas decisões, mesmo a contra gosto,  sempre terão que ser acatadas (e como ser diferente?) pelos inocentes passageiros.  Como saber a verdade?

5- BONS EXEMPLOS:
1- O site https://www.visitecalafate.com, explica essa situação:
“… el catamarán se aproximara al Glaciar Upsala para tener una vista panorámica del mismo (la aproximación será la permitida por Parques Nacionales por seguridad), luego navegaremos el Canal Spegazzini, donde…”
“…El recorrido puede ser modificado en función de las condiciones climáticas y de seguridad por decisión del capitán de la embarcación, Prefectura Naval Argentina o Parques Nacionales.”

2- Outro site, o https://es.viator.com, também inclui uma nota no site: “Nota importante: el itinerario puede variar en función de las condiciones del clima y por motivos de seguridad.”

3- Outra empresa, a https://www.getyourguide.com.br, também anuncia essa possibilidade:
Bom Saber Antes: A excursão pode sofrer alterações em virtude das condições climáticas e, também, com base na decisão do capitão da embarcação em nome da segurança.”

É aceitável modificar, ou até mesmo cancelar uma navegação deste tipo, por conta de um temporal inesperado, uma nevasca… Agora, em dia claro, sem chuva, sem ventania, e de águas calmas!… Façamiofavô! O não cumprimento de um roteiro em um dia desses fica muito estranho! É até ofensivo!, é menosprezar a inteligência dos pagantes!

6- RESUMO DO CAPÍTULO
Daí, amigo, concluo que você joga com a sorte caso não encontre uma empresa que garanta que você chegará a seu destino. Agora, que elas existem, existem. Tenho uma amiga que saiu de Puerto Bandera para visitar o Glaciar Upsala e chegou lá. Já estou providenciando nome e endereço. Vai que, na próxima, não consiga visitá-lo?
E para que não haja dúvidas, basta clicar neste link para você ver que passeio lindo ela fez ao glaciares Spegazzini e Upsala.

CONFIRA TUDO. ATÉ O ÓBVIO!

 

ARGENTINA, AR: Establo – Onde Comer Bem em Buenos Aires.


IMAGEM DESTACADA: Um dos endereços mais procurados no Centro de Buenos Aires para quem curte uma boa carne.
Fica na esquina de Paraguay com San Martin.

EM 2011
o restaurante era arrumadinho, mas havia uma certa descontração no ar que conferia ao El Establo um clima de taberna.
O movimento indiscreto e intenso de saídas de quentinhas, a singeleza da decoração… acho que era isso que contribuía para o “quê” caseiro do ambiente.
O balcão que se vê na foto, revestido de ladrilhos, era outra peça que reforçava bastante o tal ar de taberna. Agora, a comida… era e continua boa!

Foto de 2011.
Foto de 2011.
Foto de 2011.

EM 2018,
ao adentrarmos o salão pela San Martin, notei certa diferença: não afirmo que o balcão ladrilhado tenha sido reformado porque não prestei atenção e nada tem a ver com a qualidade dos pratos servidos. Mas, que o El Establo ganhou atmosfera mais chique, ah…, isso ganhou.
Prá começar, fomos recebidos por um maître elegantíssimo – bela figura que trajava um smoking super bem passado, daqueles que a gente já viu em comercial de papel sanitário. Sabe qual?
Ninguém com pano de prato pendurado no braço ou no ombro.

O CARDÁPIO
continua oferecendo pratos sem fru-frus, mas muito bem servidos e temperados.
Minha sobrinha abraçou-se com o que você vê acima (ela pediu estrogonofe e trouxeram essa carne de panela. Nada a ver, mas segundo sua opinião, estava divino), e meu irmão e cunhada compartilharam uma porção que era o dobro da que se vê na foto abaixo, acompanhada por ovo frito, legumes (cenoura e petit-pois) acebolados, bacon e batata portuguesa. Duas cervejas bem geladas completaram a festa para meu mano e meu fiel escudeiro.

Pedi um filé de linguado com purê de batatas e um suco de laranja que, para minha surpresa, veio em um balde: o copo era enorme!

El Establo conta com porções que você poderá compartilhar numa boa. Recomendo sem restrições.

*****